Os Benefícios do Pilates para Gestantes

A gravidez é um momento ideal para começar a se cuidar a sério, tanto em termos físicos como emocionais. Um bom programa de exercícios vai lhe dar a força e a resistência necessárias para carregar o peso extra da gravidez e para agüentar o estresse físico do parto. Também contribui para que você entre em forma mais rápido depois que o bebê nascer. Além disso, a atividade física ajuda a melhorar o humor, com a liberação da serotonina — o que reduz o risco de você sucumbir a uma certa tristeza comum nessa fase.


Uma atividade física que pode ser realizada neste período é o Pilates, podendo trazer benefícios à gravidez e ao parto. Alongando e fortalecendo toda musculatura que sustenta a coluna vertebral e os músculos pélvicos, irá prevenir as dores lombares e tensões musculares tão comuns na gravidez.


Além do estrogênio e da progesterona, outro hormônio, chamado relaxina também se eleva. A relaxina proporciona maior mobilidade aos ligamentos, permitindo a estabilidade das articulações. As articulações que conectam os ossos da pelve tornam-se mais frouxas e alongadas, preparando-se para o parto. Contudo, a estabilidade articular é reduzida.


O método Pilates incentiva o controle muscular postural, que compensa os ligamentos enfraquecidos, ajudando a evitar os problemas comuns nas articulações e a tensão lombar. As técnicas de respiração trabalhadas no Pilates também ajudam a relaxar e respirar com mais eficiência, induzindo a calma e reduzindo de forma eficaz os níveis do cortisol, que é o hormônio do estresse.



Os movimentos do método Pilates ajudam a melhorar a circulação, principalmente nos membros inferiores e reduzem a tensão na parte superior das “costas” e nos ombros, ocasionados pelo aumento das mamas. O equilíbrio do tronco é fornecido pelos músculos abdominais, principalmente o transverso do abdômen, o qual emerge da pelve e se infiltra na caixa torácica e no diafragma, envolvendo o tórax como uma cinta larga. Um músculo transverso fortalecido evitará que a pelve se desloque muito para frente, causando desconforto na região lombar inferior durante os estágios finais da gravidez.



Os exercícios são adaptados conforme cada fase da gestação, inicial, intermediária e final, além do pós-parto imediato e seis semanas após.
É importante que o obstetra indique o método Pilates, pois o profissional terá mais segurança em ministrar os exercícios.



A gestante que nunca praticou o método não deve iniciar na gestação, mas que já praticam devem iniciar os exercícios a partir da 12ª Semana de gestação.
A gestante deve procurar um profissional com formação em Pilates de confiança.


Trabalha o corpo como um todo – corrige a postura e realinha a musculatura, desenvolvendo a estabilidade corporal necessária para uma vida mais saudável e longeva. 


Nos exercícios de Pilates os alongamentos são estimulados sempre, levando a uma maior flexibilidade do corpo.
Com o envelhecimento, torna-se maior o número de ligações de colágeno intra e intermolecular, o que dificulta o “deslizamento” das proteínas. O tecido fica mais rígido, menos elástico e mais propenso a lesões. Com um estilo de vida pouco ativo, o envelhecimento, a imobilização e as doenças neuromusculares diminuem o tamanho e a quantidade de tecido colágeno. Conseqüentemente, o tecido muscular se enfraquece e a elastina aumenta proporcionalmente. Dessa forma, o tecido combina a elasticidade com a fraqueza.