Saiba o que é bom para Afta e conheça remédios caseiros

Todos os dias recebo mensagens e e-mails perguntando o que é bom para afta? O que elas são e como evita-las.

Então decidi falar um pouco sobre elas, vamos lá.

O que é afta?

A afta ou as aftas, também conhecidas como estomatites aftosas, são lesões dolorosas que ocorrem na mucosa oral e podem atingir lábios, língua, gengiva e garganta. São lesões ovais, esbranquiçadas (às vezes amareladas), rasas e limpas, ou seja, não apresentam pus, bactérias, fungos ou outros sinais de infecção. Podem ser únicas ou múltiplas, pequenas ou grandes.

A afta é uma úlcera que pode surgir em qualquer ponto da cavidade oral. Do ponto de vista clínico, aftas são ulcerações dolorosas que aparecem na mucosa bucal.

Todo mundo já teve pelo menos uma afta ao longo da vida; 20% da população sofre com aftas recorrentes. São mais comuns em pré-adolescentes, adolescentes e adultos jovens, tendendo a diminuir sua incidência com o passar do anos.

Apesar de serem lesões benignas, as aftas são muito dolorosas e muitas vezes atrapalham atividades simples como falar, comer e beijar.

As aftas não são contagiosas, não causam mal hálito e dificilmente causam outras complicações além das dores.

Antes de falarmos o que é bom para afta, devemos conhecer algumas de suas causas.

O que causa a afta?

As causas do aparecimento das aftas ainda não estão completamente esclarecidas. Parecem ser causadas por desbalanços no sistema imune. Alguns dos motivos conhecidos para o aparecimento de aftas são:

  • Traumas locais, como mordidas acidentais;
  • Estresse psicológico;
  • Poucas horas de sono;
  • Helicobacter pylori, a mesma bactéria que causa úlcera gástrica;
  • Algumas pastas de dentes que contenham sódio-lauril-sulfato;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Comidas como chocolate, café, refrigerantes, tomate e abacaxi;
  • Cigarro;
  • Alterações hormonais durante o ciclo menstrual;
  • Deficiência de algumas vitaminas e minerais como : vit.B12 e vit. C, zinco, ferro e ácido fólico;
  • Drogas como anti-inflamatórios, Rapamicina, Metotrexate, Aspirina e Atenolol.

Algumas pessoas que tenham o costume de deitar pouco tempo depois da última refeição, podem apresentar aftas recorrentes. Este fato provavelmente está relacionado a algum grau de refluxo gastroesofágico, que leva ao aumento da acidez da cavidade oral. As aftas costumam aparecerum ou dois dias depois, fazendo com que os pacientes, muitas vezes, não relacionem um fato ao outro.

A maioria das aftas dura em média de uma a duas semanas e costuma curar sem deixar cicatriz. As aftas que demoram mais tempo para curar são aquelas que surgem em locais onde há contato constante com os dentes ou com alimentos, sofrendo traumatismos repetidos ao longo do dia.

Algumas pessoas apresentam aftas grandes, chamadas de aftas major, maiores que 1cm e profundas. Estas demoram até seis semanas para desaparecer e podem deixar cicatriz. Existe ainda a afta herpetiforme, formada por múltiplas úlceras pequenas que se juntam e transformam-se em uma lesão grande.

Os sintomas da afta

O sintoma principal da afta é a dor, que habitualmente é mais intensa do que seria de esperar de algo tão pequeno: dura entre 4 e 10 dias e piora quando a língua roça a ferida ou se ingerem alimentos quentes ou picantes. Em casos graves pode aparecer febre, inflamação dos gânglios do pescoço e uma sensação geral de mal-estar. Muitas pessoas afetadas por aftas sofrem-nas de forma recidivante (uma ou mais vezes por ano).

Temos que ter sempre presente que a dor no calcanhar nem sempre significa a presença de um esporão.

Mas, o que é bom para afta? Existe um remédio para afta?

Não existe remédio para afta ou um tratamento milagroso. Nenhuma substância cura a úlcera de um dia para o outro. Como a afta costuma durar até duas semanas, os remédios e tratamentos atuais visam acelerar o processo de cicatrização da lesão.

É importante distinguir as pomadas que contém apenas anestésicos, que servem apenas para alívio sintomáticos, daquelas com corticoides e anti-inflamatórios em sua fórmula, que efetivamente podem acelerar a cicatrização.

Mas afinal, o que é bom para afta?

Algumas opções aceitáveis, porém não tão efetivas, são:

– Bochechar solução feita com uma colher de leite de magnésia ou bicarbonato de sódio diluído em copo de água;
– Diluir água oxigenada em água comum e aplicar com cotonete diretamente na afta;
– Misturar Difenidramina (Benadryl®) com leite de magnésia e bochechar.

Evite contato direto de substâncias abrasivas puras, como álcool ou bicarbonato em pó. Isto pode irritar a lesão e piorar o quadro. Quando usar diluições para bochechos, sempre cuspa o líquido no final, nunca o engula.

Quando se preocupar com uma afta?

Apesar de benigna na imensa maioria dos casos, a afta pode ser uma manifestação de doenças sistêmicas ou pode ser confundida com lesões graves, como neoplasia da cavidade oral.

Uma consulta com o dentista ou médico estomatologista deve ser avaliada quando:

– a afta for excepcionalmente grande;
– as aftas forem recorrentes com surgimentos de novas logo após a cicatrização das primeiras;
– a afta demorar mais de 3 semanas para cicatrizar;
– houver sinais de infecção na área da afta;
– houver sintomas sistêmicos (febre, perda de peso, perda do apetite …) que sugiram a presença de alguma doença por trás das aftas;
– houver febre;
– houver úlceras também nos órgãos genitais.

Quais doenças cursam com aftas ou lesões semelhantes?

Normalmente as úlceras orais causadas por doenças sistêmicas são múltiplas e recorrentes. Costumam ter algumas características diferentes das aftas comuns e são acompanhados de outros sintomas.

Desconfie sempre daquelas aftas quer nunca cicatrizam, e perduram por 20 a 30 dias. Nesse caso, é preciso avaliar se não há uma doença mais grave por trás, como herpes ou até mesmo Aids. Os fumantes e pessoas que gostam de bebidas fortes, tipo uisque e vodka, precisam analisar as aftas com cuidado porque correm o risco de desenvolver tumores malignos na boca.

No Lúpus, a aftas costumam ser indolores e acompanhadas de lesões de pele e dores nas articulações, além de sintomas sistêmicos como febre baixa e cansaço.

Na doença de Behcet, também uma doença autoimune, as aftas são múltiplas, recorrentes e acompanhadas de úlceras também nos órgãos genitais. Também é comum haver lesões nos olhos.

Na doença celíaca e na doença de Crohn, as aftas vêm em conjunto com sintomas intestinais, como diarreia e sangue nas fezes.

Neutropenia, que é a queda no número de neutrófilos (um tipo de glóbulo branco) no sangue, também é causa de úlceras orais. Normalmente é visto em doentes em quimioterapia, mas pode ocorrer em qualquer doença ou medicamento que cause neutropenia.

Várias infecções podem causar úlceras orais semelhantes a aftas:

O vírus HIV pode causar úlceras orais em fases avançadas (quando já há critérios para AIDS) e também na fase aguda da infecção pelo vírus.

Infecção pelo Coxsackie virus (herpangina), muito comum em crianças, pode cursar com dores de garganta, febre, pequenas úlceras orais e lesões nas palmas das mãos e plantas dos pés.

A sífilis, tanto a fase primária como a secundária podem cursar com úlceras orais. Normalmente são múltiplas e na fase secundária demoram a cicatrizar.

O herpes labial se apresenta como vesículas que podem virar pequenas úlceras após romperem-se. O aspecto não é muito parecido com afta, mas pode ser confundido por leigos. São duas doenças diferentes, com etiologias e tratamentos distintos.

Alguns cânceres da cavidade oral podem se apresentar como ulcerações, sendo inicialmente confundidos com aftas comuns. Por isso, toda afta que demora a cicatrizar deve ser avaliada por um médico, principalmente se o paciente for fumante.