Cansaço e sono na gravidez. Como dormir melhor?

Um dos sintomas mais comuns da gravidez é um intenso e aparentemente inexplicável cansaço, que frequentemente vem acompanhado de sono excessivo. A gestante em seus primeiros meses de gravidez cansa-se por tudo e por nada e a cama parece sempre ser o local em que ela melhor se sente.
 As primeiras semanas de gestação podem ser terríveis para a futura mãe, pois além do cansaço e do sono, também são muito comuns as náuseas e os vômitos.
 Para algumas mulheres, a palavra cansaço pode soar até como um eufemismo, pois o que elas realmente sentem é mais do que cansaço, é uma sensação de exaustão.

Há uma mudança normal na rotina do sono durante a gravidez. Um estudo realizado na Universidade de Paris, na França, revela que a queda na qualidade do sono de muitas mulheres grávidas ocorre devido às mudanças hormonais e ao aumento da barriga, principalmente no fim da gestação.
 Para a pesquisa, os estudiosos reuniram gestantes entre 15 e 39 anos, durante quatro semanas, para responder a um questionário diariamente sobre a quantidade e a qualidade do sono durante cada noite.
Os resultados apontaram que o primeiro trimestre, mesmo com a redução do tempo de sono, ainda é o mais tranquilo.

Cansaço e sono na gravidez. Como dormir melhor?As grávidas com três meses dormiam em torno de 13 minutos mais rápido do que as mulheres que estavam no terceiro trimestre. Normalmente, a qualidade do sono pode cair de 8 horas para 4 horas até o fim da gravidez. No primeiro trimestre da gravidez, a alteração hormonal aumenta cerca de 50% do volume do sangue no corpo da mulher.
 Isso gera um esforço maior para o coração bombear, levando embora boas horas de sono.
A situação, porém, não é regra.
Há mulheres que sentem mais sono no primeiro trimestre, porque há um aumento do progesterona, hormônio responsável pela sonolência.

Já, no segundo trimestre, o sono tende a se regularizar porque os hormônios se estabilizam, e nos últimos três meses o que atrapalha o descanso é a falta de posição para dormir.

Mesmo as mulheres que historicamente sempre dormiram pouco, ou que eram cheias de energia, capazes de acumular múltiplas tarefas profissionais e esportivas, acabam sendo derrubadas pelo cansaço e pelo sono na gravidez. Às vezes, nem um capítulo inteiro da novela elas conseguem assistir sem cair no sono.

Por que estou tão cansada, agora que fiquei grávida?

Você não está sozinha! A gravidez sobrecarrega todo o seu corpo, daí o cansaço. O sintoma de que as mulheres mais se lembram do começo da gravidez é a constante sensação de exaustão.
Até quem costuma ficar acordada até tarde de repente se vê tendo de fazer força para manter os olhos abertos diante do programa preferido na TV, à noite, ou mesmo no cinema.

Ao longo de toda a gestação, mas principalmente no primeiro trimestre, seu corpo trabalha duro. Você está fabricando a importantíssima placenta, o sistema que sustentará o seu filho. Esse processo só será concluído no final do primeiro trimestre.
 Seus níveis hormonais e seu metabolismo estão mudando rápido, e ao mesmo tempo as taxas de açúcar no sangue e a pressão tendem a cair.
Tudo isso contribui para a sensação de cansaço.

Quais são as causas do cansaço na gravidez?

O cansaço e o sono excessivo surgem no primeiro trimestre, não tendo, em um primeiro momento, nada a ver com o peso do feto ou com o tamanho da barriga. O cansaço e o sono têm origem nas alterações hormonais e fisiológicas que o corpo da mulher começa a sofrer já nas primeiras semanas de gestação.
Entre os vários hormônios que se alteram na gravidez, a progesterona é o que se destaca mais.
Ao longo da gestação, os níveis deste hormônio chegam a aumentar em mais de 500%.
A progesterona é essencial para a manutenção da gravidez e para o desenvolvimento do feto, porém, ela provoca diversos efeitos colaterais, sendo a sensação de cansaço extremo e o sono excessivo um dos seus principais.

Além da ação direta da progesterona no sistema nervoso central, o que provoca intenso sono na gravidez, várias alterações fisiológicas do organismo e do corpo da mulher, muitas delas também estimuladas pela própria progesterona, colaboram para o cansaço.

A grávida nas primeiras semanas, além de desenvolver o feto, precisa gerar a placenta que irá nutrir o bebê ao longo da gravidez. Esse processo demanda muito gasto de energia, fazendo com que o organismo da mulher priorize o desenvolvimento da gravidez em detrimento às suas atividades do dia-a-dia.
 A demanda de oxigênio do corpo para manter uma gravidez chega a aumentar em 20%.
Um dos efeitos da progesterona é estimular a área cerebral responsável pelo controle da respiração de forma a aumentar a frequência respiratória basal da gestante, compensando, assim, a maior necessidade de oxigênio do corpo.

A grávida, portanto, já respira de forma mais rápida que o habitual e usa parte do oxigênio inspirado para o desenvolvimento do feto e da placenta.
Por isso, qualquer atividade física que demande um aumento ainda maior do consumo de oxigênio costuma ser tão mal tolerada, principalmente pelas mulheres que eram sedentárias antes da gravidez e têm uma capacidade cardiopulmonar abaixo da desejada.

O feto e a placenta também demandam sangue, e parte da circulação sanguínea é desviada para o novo ser em desenvolvimento. Além do desvio de sangue, os hormônios da gravidez também estimulam uma redução da pressão arterial, provocada por vasodilatação das artérias.
Logo, na gestante, há uma pressão arterial mais baixa para irrigar uma área tecidual maior que a habitual.

Além de tudo isso, a retenção de líquidos dilui o sangue, fazendo com que a grávida tenha uma anemia relativa, o que colabora ainda mais para o cansaço a para a intolerância aos esforços.

Quanto tempo o cansaço e o sono vão durar?

Cada pessoa é diferente, mas nas grávidas o cansaço costuma ser maior no primeiro trimestre e no começo do segundo trimestre. O bom é que lá pela metade do segundo trimestre você deve sentir uma injeção de energia, suficiente para durar até o terceiro trimestre.
É o momento ideal para aproveitar a gravidez e tomar conta de todos os preparativos para a chegada do bebê.
Depois do sétimo mês, seu nível de energia deve começar a cair novamente.

Ao final do primeiro trimestre, os níveis hormonais se estabilizam e a placenta já se encontra formada. O cansaço e o sono melhoram bastante. Muitas mulheres voltam a se sentir bem-dispostas. O segundo trimestre é conhecido como o “trimestre feliz”, pois todo aquele “desespero” das primeiras semanas costuma desaparecer.

Veja também:   Depressão pós-parto: medo de ser mãe

Porém, infelizmente, o bem-estar dura pouco. Conforme o útero e a barriga começam a crescer, o peso do bebê, associado à compressão dos vasos sanguíneos da pelve e do abdômen e à restrição à movimentação do diagrama voltam a deixar a gestante fisicamente esgotada.
 Com o fim do primeiro trimestre, os sintomas tendem a desaparecer e a gestante volta a sentir-se bem.
No terceiro trimestre, o bebê já está bem grande e a grávida encontra-se, além do barrigão, com, pelo menos, 10 a 12 quilos acima do seu peso habitual.

A gestante no terceiro trimestre é obrigada a carregar um excesso de peso. O bebê por si só pesa ao redor de 3 quilos. Só de água corporal e líquido aminótico são mais 6 a 8 quilos. Placenta e útero juntos pesam quase 2 quilos.
Portanto, uma gestante, ao final da gravidez, é obrigada a carregar cerca de 12 quilos a mais do que estava acostumada a carregar meses antes.
É muito ganho de peso em um intervalo muito curto, não havendo tempo para o corpo de adaptar.
Além disso, a progesterona, sempre ela, também atua nos músculos, tendões, ligamentos e articulações do corpo, alterando o seu funcionamento normal, o que predispõe a gestante a dor e lesões osteo-musculares.

Além do cansaço, o sono volta a incomodar a grávida no terceiro trimestre, desta vez não somente por ação direta da progesterona no sistema nervoso central, mas porque o imenso útero impede que a gestante tenha uma boa noite de sono. Na fase final da gravidez, dormir de barriga para cima ou para baixo é impossível e desaconselhado.
A grávida precisa passar a noite de lado e tem grande dificuldade de mudar de posição durante o sono.

Para piorar, a ação direta da progesterona e a compressão da bexiga pelo útero fazem com que a grávida precise urinar a toda hora. Algumas mulheres precisam levantar mais de uma vez durante a noite para fazer xixi, interrompendo o seu já difícil sono.

Portanto, além de todo o cansaço acumulado ao longo do dia pelo excesso de peso, pelas dores, pelo xixi frequente e pela dificuldade de respirar (devido a um útero gigante que comprime o diafragma), a grávida ainda tem dificuldade de repor suas energias durante o sono noturno.

Como atenuar o cansaço da gravidez

Cansaço e sono na gravidez. Como dormir melhor?

Antes de mais nada é preciso entender que o sono e o cansaço da gravidez são, na verdade, uma forma do seu corpo lhe avisar que ele precisa de descanso e energia de sobra para desenvolver o bebê. O ponto mais importante é compreender e aceitar isso.
As primeiras semanas de gravidez são mesmo para descansar ao máximo e evitar esforços desnecessários.
 O sono e a exaustão duram pouca semanas e depois melhoram muito.
Durante esse período, evite situações sociais ou profissionais que não sejam essenciais.
Dê um descanso para o seu corpo.

O mais importante é dormir sempre que o corpo pede. Obviamente, por questões profissionais, nem sempre isso é possível. Infelizmente, vivemos em uma sociedade que pouco respeita os contratempos de uma gravidez.
Se a grávida não tem um barrigão de final de gestação, é pouco provável que algum chefe vá permitir qualquer tipo de alteração nos horários ou na jornada de trabalho, por mais que a gravidez inicial esteja deixando a mulher exausta.
De qualquer forma, converse com o seu chefe, veja se você consegue ao longo do dia um ou dois períodos de 15 a 20 minutos para não fazer nada e tentar tirar um cochilo.
Pode parecer pouco, mas já ajuda muito.

Se não for possível dormir durante o dia, vá para a cama cedo à noite. Se você já tem filhos, peça ajuda ao marido ou a familiares. Entenda que você precisa dormir mais do que o que estava habituada antes da gravidez.
A partir da 16ª semana de gravidez, dê preferência a dormir de lado, principalmente do lado esquerdo; você terá um sono mais agradável.

Evite longos períodos de jejum, pois estes podem piorar o cansaço e os enjoos, e procure se hidratar bem. Beba mais água durante o dia do que à noite para não sentir tanta vontade de urinar de madrugada. Evite bebidas que contenham cafeína, pois esta pode atrapalhar o seu sono.

Coma frutas, verduras, proteínas e carboidratos complexos. Evite alimentos gordurosos. Se você tiver anemia, reposição de ferro costuma ajudar.

Pratique atividades físicas leves, como caminhadas, Yoga ou natação. Por mais que você esteja cansada, leves atividades físicas ajudam a liberar endorfina e melhoram o seu condicionamento cardiorrespiratório, o que, ao longo dos dias, fará você se sentir muito melhor e menos cansada.

O que posso fazer?

  • Ouça o que seu corpo está pedindo.
    Tente tirar sonecas sempre que puder, e faça de tudo para ir para a cama cedo.
    No trabalho, fechar os olhos por alguns minutos já faz diferença – se você tiver a sorte de ter algum lugar onde possa descansar um pouco, aproveite.
    Algumas grávidas apelam até para um descanso rápido dentro do carro, se ele estiver num estacionamento seguro, ou para um descanso instantâneo de cinco minutos no banheiro mesmo.
  • Tente adaptar seu cotidiano.
    Veja se existe a possibilidade de mudar seu horário para escapar do trânsito mais pesado ou do calor.
    Se já tem filhos, aceite ajuda de outras pessoas para tomar conta deles, para que você possa descansar um pouco e dormir.
  • Tome cuidado com a alimentação.
    Você vai precisar de cerca de 300 calorias extras por dia – e não estamos falando de chocolate.
    Uma dieta saudável, composta de legumes, verduras, frutas, grãos integrais, leite desnatado e carnes magras vai lhe dar a energia de que você tanto precisa; comidas gordurosas e doces demais, por outro lado, acabam sabotando sua disposição.
  • Aguente firme e tenha paciência.
    Logo você estará no segundo trimestre e voltará a ter energia.
    A maioria das mulheres acha o período entre o quarto e o sétimo mês o melhor de toda a gravidez, em que se sentem ótimas.
    Não se esqueça de que fabricar um bebê é um trabalho e tanto, portanto, se achar que precisa dormir, faça de tudo para arranjar tempo e fechar os olhos, nem que só por alguns minutos.

O que posso fazer para dormir melhor?

Em geral, a gravidez traz consigo uma série de alterações na qualidade do sono, incluindo náusea, azia, síndrome das pernas inquietas e ronco. Esses problemas (às vezes inevitáveis) podem ser agravados por maus hábitos de sono estabelecidos por você antes de ficar grávida.
As orientações abaixo podem ajudá-la a ter uma boa noite de sono, não só durante a gravidez, mas depois também.

Veja também:   Autismo: Diagnóstico precoce é fundamental para estimular crianças na comunicação e socialização

Livre-se dos “inimigos”

Durante a gravidez, fumar e tomar bebidas alcoólicas fazem mal ao bebê, e também podem atrapalhar o sono. Encare esse período como uma ótima oportunidade para deixar o cigarro e cortar o consumo de álcool.

Além disso, maneire nas bebidas com cafeína, como chá, café e refrigerantes de modo geral, e evite-as por completo à tarde e à noite.

Transforme o quarto em um santuário

Reserve um tempo para deixar seu quarto o mais aconchegante e relaxante possível, a fim de que o sono venha mais fácil. Como é bem provável que na gravidez você sinta mais calor que o habitual, mantenha o quarto fresco. Tente reduzir ao máximo possível qualquer luz ou barulho, pois eles podem facilmente acordá-la de um sono leve.

Use a cama só para dormir

Se você tem o hábito de comer ou ver televisão na cama, acabe com ele. Reserve sua cama para atividades noturnas bem mais agradáveis.

Deixe as preocupações do lado de fora do quarto

Se você mantém uma lista de “coisas a fazer” (mesmo que apenas mental), conclua-a até a hora do jantar, e só volte a pensar nela na manhã seguinte. Faça de tudo para terminar tudo o que precisava fazer até a hora do jantar, para que você tenha tempo de desacelerar antes de ir para a cama.
Se você é do tipo de pessoa que acorda à noite pensando em um trabalho urgente, mantenha um bloquinho ou caderno perto da cama para que possa anotar rápido a idéia e voltar a dormir.

Não faça exercícios três ou quatro horas antes de se deitar

Embora se exercitar durante a gravidez seja maravilhoso para sua saúde física e mental, pode interferir no sono, caso seu corpo não tenha tempo de relaxar depois. Alguns estudos mostram que exercícios muito perto da hora de dormir podem atrapalhar o sono profundo.

Cochile sempre que puder

Uma soneca de 30 a 60 minutos durante o dia pode melhorar a atenção e a memória, e em geral reduz os sintomas de fadiga. Um estudo recente descobriu que mais da metade de todas as mulheres grávidas tiram ao menos um cochilo durante a semana nos dias de trabalho e 60 por cento cochilam ao menos uma vez no fim de semana.
Lembre-se, no entanto, que dormir demais durante o dia pode atrapalhar uma boa noite de sono.

Estabeleça uma rotina regular e relaxante para a hora de dormir

Quando você chegar do trabalho, jante em um lugar agradável e relaxe o tanto que puder. Depois de comer, faça algo calmo, como ler ou tomar um banho morno. Também tente regular seu relógio biológico indo para a cama e levantando na mesma hora todo dia.

Se não consegue dormir, levante-se um pouco

Se ainda estiver acordada depois do que parecem ser horas (mas provavelmente são apenas 20 ou 30 minutos!), levante-se e vá para outro cômodo. Ouça uma música suave ou leia uma revista. Quando se sentir sonolenta, volte para a cama.

Pratique técnicas de relaxamento

Há uma série de técnicas que você pode experimentar para ajudar a estimular o sono, como imagens guiadas, respiração profunda ou relaxamento muscular progressivo.

A ansiedade e os efeitos causados no corpo e na mente da mulher durante a gravidez podem ser amenizados com técnicas de relaxamento. O ginecologista e obstetra Dr.
Domingos Mantelli Borges Filho dá algumas dicas para que as mamães relaxem enquanto esperam seu bebê:

  • Deite -se de costas e coloque um travesseiro embaixo dos joelhos, para que a coluna se apoie totalmente na cama
  • Música lenta e agradável são boa opção para escutar durante o relaxamento
  • Ao deitar de lado coloque uma almofada entre as pernas
  • Movimente os pés, em movimentos circulares, para evitar cãibras
  • Atenção com a respiração durante o relaxamento ela é de extrema importância tanto para relaxar como para mandar oxigênio para o bebê
  • Sente-se com os pés para cima ou deite-se e feche os olhos
  • Inspire profundamente, prenda a respiração por 3 segundos e depois solte o ar.
    Inspire pelas narinas e solte o ar pela boca
  • Relaxe seu corpo através de ordem do cérebro, mentalmente.
    Relaxe todo o seu corpo
  • Repita os movimentos de respiração profunda até relaxar totalmente
  • Pense numa coisa ou em um lugar agradável, positivamente
  • Não faça movimentos bruscos
  • Durante o relaxamento, passe a mão acariciando sua barriga e emita bons pensamentos ao seu bebe, converse com ele sobre coisas boas
  • Se puder, use sempre a mesma música e a utilize também no momento do parto.

.

Fazendo esses exercícios diariamente você se sentirá melhor, mais animada e conseguirá controlar melhor seus pensamentos e o seu próprio corpo.

Faça um lanche antes de ir para a cama para evitar as náuseas

Se estiver incomodada com os enjoos (comuns no primeiro trimestre), mantenha a barriga cheia comendo lanches leves, como bolachas secas, em especial antes de dormir.

Evite refeições pesadas e alimentos picantes logo antes de se deitar

Comidas muito temperadas e apimentadas, ou alimentos ácidos como os à base de tomate, podem causar azia e indigestão. Assim como fazer uma refeição grande muito perto da hora de dormir. Coma em frações menores e mais cedo, e depois se dê duas ou três horas para digerir o jantar antes de deitar.

Beba menos água no fim da tarde e à noite

É importante ingerir uma boa quantidade de líquidos quando se está grávida, mas beber mais durante a manhã e menos no fim da tarde e à noite ajuda a reduzir as idas ao banheiro durante a madrugada.

Durma sobre o lado esquerdo

É uma boa ideia se acostumar a dormir sobre seu lado esquerdo já durante os primeiros meses da gravidez. A posição ajuda o sangue e os nutrientes a fluírem para o feto e para o útero com mais facilidade, e ajuda os rins a eliminar os líquidos desnecessários.

Quando vai chegando perto dos últimos meses da gravidez, os desconfortos na hora de dormir aumentam. Mas, segundo o especialista Fernando Leite, ginecologista do Hospital e Maternidade Pró Matre, a melhor maneira de a mulher dormir tranquila é virada para o lado esquerdo.
“Essa é a forma mais adequada porque o coração fica do lado esquerdo do corpo, enviando mais oxigênio e nutrientes para o bebê”, diz o Dr.
Luis Fernando.

Veja também:   Por que não consigo engravidar?

Cansaço e sono na gravidez. Como dormir melhor?

O ideal é que, virada para o lado esquerdo, você esteja também virada para fora da cama, para ficar mais fácil na hora de levantar para ir ao banheiro. Também é uma boa ideia para evitar que, com o passar dos meses, você atrapalhe o sono do seu parceiro com um eventual ronco.
Por isso, conversem para ver se é melhor vocês trocarem de lugar na cama desde já.

Dormir de barriga para cima ou virada para o lado direito pode bloquear o ar da gestante, e o sangue bombeará menos oxigênio para o corpo, incluindo o útero. Essas maneiras deixam a criança incomodada e agitada porque não recebe tanto oxigênio”, diz.
As posições não causarão problemas futuros para o bebê e para a mãe, apenas o desconforto momentâneo.

À medida que a barriga cresce, use tantos travesseiros quantos forem necessários para deixá-la confortável. Um no meio das pernas, um no meio da barriga, um para abraçar… Para ter uma noite mais tranquila,  use sempre um travesseiro no meio das pernas para aumentar o conforto. Quando a gestante deitar de lado, ela pode ter dores na coluna.
Com o travesseiro, ela não sentirá essa dor.

Não estresse se não conseguir dormir

Se você acordar à noite, tente não se preocupar demais. Interrupções do sono durante a gravidez são perfeitamente normais. Embora dormir a noite inteira pareça algo impossível no momento, uma hora uma rotina de sono vai funcionar para você.

Estresse em grávida afetaria filhos

Um estudo realizado na Escola de Farmácia da Universidade Hebraica de Jerusalém mostrou que situações estressantes durante a gravidez podem ter efeitos nocivos para o bebê. Alguns deles são: problema d aprendizagem e atenção, ansiedade, sintomas depressivos e autismo.

Em altas doses, o cortisol liberado durante o estresse, chega ao cérebro do feto durante estágios críticos de desenvolvimento, causando mudanças funcionais e estruturais. O favorecimento de parto prematuros é outro ônus para a lista. Por isso, fugir do estresse é a melhor saída.

Cansaço e sono na gravidez. Como dormir melhor?

Grávida pode dormir de barriga para cima? E de bruços?

“Durante a primeira metade da gravidez, não há problema em dormir de barriga para cima. Mas, conforme o bebê vai crescendo e a gestação avança, o mais aconselhável é dormir virada para o lado esquerdo.
 Os médicos já observaram que, durante o trabalho de parto, a posição deitada de lado, sobre o lado esquerdo, é a que proporciona melhores condições de oxigenação para o bebê, pois o sangue flui melhor pelo cordão umbilical.
Por isso vale a pena reproduzir essa posição na cama.

Quando a barriga está grande e a grávida dorme de barriga para cima, há o risco de ela se sentir mal, porque o peso do útero comprime a veia cava, causando falta de ar e mal-estar. Normalmente basta mudar de posição que fica tudo bem.

Também há algumas indicações de que o fato de dormir de barriga para cima no final da gravidez esteja ligado a riscos para o bebê. Ainda são necessários mais estudos para comprovar essa ligação, mas em todo o caso é melhor apostar na posição de lado, sobre o lado esquerdo.

No último trimestre, por causa da azia, da congestão nasal ou da falta de ar comuns nesta fase, pode ser que você prefira dormir numa posição mais sentada, cheia de travesseiros em volta. Faça como se sentir melhor, pois nada substitui uma boa noite de sono.

A gestante também pode dormir de bruços até o quinto mês de gestação, sem a preocupação de “amassar o bebê”. Após o quinto mês, o mais provável é que a mulher não consiga dormir de barriga para baixo, porque a posição fica desconfortável, devido ao tamanho da barriga.

Caso uma mulher no sexto mês ou mais de gestação acorde e perceba que está de bruços, não há motivo para se preocupar. O bebê está extremamente protegido dentro do útero e não se machucará nessa posição.

E, se você acordar e perceber que está de barriga para cima, simplesmente vire de lado e (tomara!) volte a dormir”.

Eleonora Fonseca, obstetra.

Como combater náuseas e vômitos

Estratégias para prevenir e combater as náuseas e os enjoos matinais – adapte o seu estilo de vida:

  • Faça 5 ou 6 refeições pequenas ao longo do dia em vez de fazer 3 grandes refeições.
  • Evite ficar sem comer ou fazer intervalos muito longos entre as refeições, mesmo quando sentir náuseas.
    Esforce-se por comer sempre qualquer coisa como uma gelatina.
  • Coma alimentos ricos em proteínas (salmão, frango sem pele e sem gordura, carne vermelha sem gordura, ovo, soja, leite, iogurte, ervilhas, brócolos, tomate, uvas, abacate, morangos, kiwi) e hidratos de carbono (cereais integrais, arroz integral, pão integral, massas integrais).
  • Não coma alimentos com alto teor de gordura, fritos e picantes.
    Não tome café nem coma alho ou cebola crus e evite alimentos com odores intensos.
  • Confeccione as refeições de modo simples e o mais natural possível.
  • Não beba muita água durante as refeições.
    Beba antes ao longo do dia (pelo menos 2 litros de água por dia).
    É fundamental que se mantenha muito bem hidratada.
  • Não beba nem coma alimentos muito quentes.
    De preferência faça refeições frias ou mesmo geladas.
  • Quando se sentir mais enjoada, coma alimentos secos como tostas integrais ou bolachas de água e sal.
  • Para minimizar o mal-estar provocado pelo excesso de salivação chupe um rebuçado.
  • Comer uma bolacha ao levantar, ainda deitada na cama, poderá ajudar a minimizar a sensação de enjoo.
    Faça respirações profundas.
  • Evite movimentos bruscos, o exercício físico vigoroso e procure diminuir o stress laboral diário.
  • Não se deite após as refeições.
  • Experimente acrescentar algumas raspas de gengibre à refeição (a cru).
    Pelas suas propriedades, o gengibre ajuda a acalmar o estômago.
  • Se se sentir deprimida por se sentir mais débil e incapacitada, fale com o seu médico e procure ajuda especializada.
  • IMPORTANTE: À noite, antes de se deitar, coloque perto da cama alguma coisa para petiscar antes de se levantar no dia seguinte.
    Após acordar, espere 10-15 minutos antes de sair da cama.
    Levante-se suavemente, primeiro ponha-se de lado em posição fetal, coloque os pés fora da cama, pouse-os no chão e a seguir erga o busto apoiando-se nos braços.

.

Artigos Relacionados