Psoríase: Sofrendo os efeitos na pele

Estudo feito com mil pacientes mostra como eles lidam com a psoríase. Doença inflamatória causa sérios problemas físicos, mas afeta também o emocional. Cientistas espanhóis concluem que emoções negativas agravam psoríase.

Placas avermelhadas, descamações, coceira são as principais manifestações da psoríase, uma doença inflamatória da pele, muitas vezes negligenciada, mas que pode trazer outras consequências graves, como comprometimento nas articulações e alterações do sistema cardiovascular.
Muito mais do que um simples problema de pele, a psoríase ainda afeta o emocional dos pacientes, que se veem discriminados pela aparência manchada e irritada da pele.

Eles também convivem com o preconceito do outro, que teme que o problema possa ser contagioso. “Doenças como a psoríase são inflamatórias, não infecciosas.
De toda forma, a pele é, sem dúvida, um grande órgão de comunicação e, quando doente, expõe facilmente a pessoa a grande estigma”, comenta Lincoln Helder Zambaldi Fabricio, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Para saber como vivem os pacientes com psoríase no Brasil, e como eles lidam com a doença, acaba de ser lançado o estudo Appisot (Avaliação da gravidade da psoríase em placas em brasileiros em acompanhamento ambulatorial em centros de referência).
Foram avaliadas mais de mil pessoas com o problema e cerca de 50% delas com manifestações moderadas a graves da doença.

A pesquisa concluiu que o mal causa grande impacto na vida do paciente. Muitos, 35%, deixaram de trabalhar e 70% tinham outras doenças associadas à psoríase que comprometem efetivamente a qualidade de vida dessas pessoas, como hipertensão, obesidade, colesterol aumentado, diabetes.
“Trabalhos evidenciam maior incidência dessas doenças entre os pacientes.
Alguns estudos ainda confirmam o risco aumentado de infarto do miocárdio entre eles.
Outro ponto a destacar é o grau de introspecção do doente grave de pele, com maior grau de depressão, sedentarismo, obesidade, tabagismo e alcoolismo, o que leva diretamente ao aumento de síndrome metabólica e danos cardiovasculares e/ou arterioscleróticos”, alerta Lincoln.

Veja também:   Câncer de Ovário - Causas, Diagnóstico e Tratamento

Remédio no SUS

O Ministério da Saúde incluiu o medicamento metotrexato injetável para o tratamento da psoríase no âmbito no Sistema Único de Saúde (SUS). A decisão foi publicada no Diário Oficial da União em setembro.
De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a psoríase é uma doença imune inflamatória crônica da pele, que atinge cerca de 3% da população mundial.
Na maioria das vezes, ela se manifesta por lesões avermelhadas ou róseas cobertas por escamas esbranquiçadas.
A doença pode aparecer nos joelhos, cotovelos ou no couro cabeludo.
Em alguns casos, pode se espalhar por toda a pele.

A psoríase não tem cura, mas seus sintomas podem ser controlados por meio de tratamento. A doença pode ser desenvolvida em pessoas de todas as idades e ambos os sexos e não é contagiosa.

Pesquisas confirmam: emoções negativas agravam psoríase

Cientistas da Universidade de Múrcia, na Espanha, concluíram que há uma relação entre as emoções negativas e as lesões da pele que caracterizam a doença inflamatória crônica chamada psoríase. Ela pode atingir mucosas, unhas e até articulações e o processo é alternado entre momentos de melhora e piora.
Não é uma doença contagiosa, mas está associada a fatores psicológicos.
É caracterizada por manchas avermelhadas, em forma circular, com descamação da pele.
A doença inflamatória crônica pode atingir mucosas, unhas e até articulações e o processo é alternado entre momentos de melhora e piora.

Os cientistas avaliaram 800 doentes, de diferentes regiões do mundo, na primeira etapa dos estudos. Na segunda fase, os investigadores avaliaram a personalidade dos doentes e fizeram uma análise, por meio de testes, com emoções negativas e positivas.
O estudo, do qual fez parte a associação espanhola de doentes Acción Psoriasis, concluiu que o doente quando se sente deprimido, pressionado, agitado, preocupado ou nervoso acaba tendo um aumento das lesões.
Esses fatores causam o agravamento e a extensão dessas lesões.

Veja também:   Leite e Laticínios Saudáveis

Os cientistas do grupo de psicodiversidade da Universidade de Múrcia defendem a necessidade de um tratamento completo do doente de psoríase, incluindo os aspectos dermatológico e psicológico. De acordo com a Acción Psoriasis, as avaliações mostraram que emoções positivas podem constituir fator de proteção.

Os sintomas da psoríase são vistos na pele e apresenta-se como vermelhidão e uma intensa descamação, que pode coçar ou não. Apesar de não ter cura, existem atualmente medicamentos e cuidados eficazes que mantêm a doença controlada.
Além da predisposição familiar, a psoríase pode ser desencadeada pelo estresse, infecções e traumas físicos e psíquicos que levem a um desequilíbrio do sistema imunológico.

É importante lembrar que a doença causa lesões, que se manifestam em regiões visíveis do corpo, como braços, pernas e rosto, mas não é contagiosa.

 

Artigos Relacionados