Quais os cuidados que você deve ter ao assistir um filme 3D?

Seu filho adora filmes 3D? Então, confira aqui itens que merecem a sua atenção para garantir a diversão em família.

Ao colocar os óculos para assistir a filmes em 3D, a retina do olho precisa se adaptar para fazer as imagens se transformarem em terceira dimensão e, para algumas pessoas, o esforço cerebral pode ser maior e levar a uma fadiga ocular. Há adultos e crianças que colocam os óculos e já enxergam a imagem em 3D imediatamente. Outros, não.
 Veja 5 itens que merecem sua atenção:

  • Antes de usar os óculos em 3D, observe se estão bem limpos;
  • Procure ficar o mais distante possível da tela.
    Se for no cinema, escolha uma poltrona mais para o fundo da sala.
    Em casa, coloque a TV o mais distante que puder do sofá;
  • Se o seu filho se sentir mal durante o filme, não se desespere.
    Peça para que ele tire um pouquinho os óculos e feche os olhos por alguns minutos.
    Se persistir o mal-estar, é melhor deixar a diversão para outro dia e conversar com o pediatra;
  • Ao terminar de ver um filme, seja em casa ou no cinema, nunca levante imediatamente.
    É preciso fazer uma adaptação para os olhos voltarem à visão real.
    Oriente seu filho a fazer esse exercício junto com você: ainda sentada, retire os óculos e olhe para sua mão e para outra imagem mais distante, por 5 minutos;
  • Lembre-se de que as regras valem para qualquer tela que emita luz, como computadores, videogames e televisores.
    Mais um motivo para as crianças não passarem muito tempo na frente desses aparelhos.

3D faz mal à saúde?

A resposta curta para a pergunta é: depende. O 3D pode fazer mal, dependendo de uma série de fatores, como a utilização prolongada dos óculos especiais, mas se usado da maneira correta e sem exageros, os riscos são reduzidos.

A tecnologia 3D requer que o usuário utilize óculos especificamente criados para esse fim. Eles fazem com que cérebro transforme a ilusão criada na tela em 3D, utilizando para isso a teoria da complementação de cores.

Higiene

O primeiro problema é que os cinemas distribuem óculos 3D “retornáveis”, ou seja, depois de assistir à sessão, você deve devolvê-los para que possam ser utilizados na próxima. Agora, imagine você utilizando óculos que passaram de mão em mão, e de rosto em rosto, desde que foram adquiridos pelo cinema.
Ainda não há uma fiscalização que exija a higienização do acessório e, portanto, não há como saber se o que você está usando foi limpo.

Também não temos como saber se os óculos estão completamente infestados de bactérias causadoras de doenças nos olhos e na pele. É possível até que a temida gripe suína – gripe A (H1N1) – seja transmitida pelo uso dos óculos por uma pessoa contaminada e posteriormente por alguém que não seja portador do vírus.
 Por isso, é importantíssimo que antes de posicionar os óculos no rosto, o usuário limpe-o muito bem com a utilização de álcool gel.
Só assim você pode garantir que não há uma civilização de doenças residindo no acessório.

Veja também:   Ceia de Natal: alimentos ajudam a combater doenças do coração e diabetes. Mas evite exageros!

Cada óculos 3D custa pouco menos de R$5, isto é, um preço irrisório se comparado ao grande faturamento dos cinemas nas sessões 3D e aos preços abusivos dos ingressos das salas que possuem a tecnologia.
 Portanto, o ideal é que as empresas administradoras dos cinemas utilizem produtos descartáveis ou façam a distribuição deles para que cada usuário tenha o seu próprio e não faça uso dos óculos de outras pessoas, evitando assim a transmissão de doenças.

Uma sugestão seria a comercialização dos óculos 3D com estilos diferentes, agregando valor e conferindo personalidade ao acessório, já que as pessoas teriam a liberdade de escolher qual preferem.

Algumas Secretarias de Saúde brasileiras já se manifestaram à respeito da higiene do material e notificaram diversas salas de cinema para que elas façam a correta assepsia dos óculos, mas ainda é necessária muita evolução em relação a isso, no sentido de criar uma fiscalização mais severa.

Problemas de visão

Assim como qualquer atividade que force seus olhos, o 3D deve ser assistido com moderação, pois os olhos fazem mais força para assistir em 3D do que para ver conteúdo sem a tecnologia. Sendo assim, é necessário que você dê um descanso aos seus olhos depois de ir a uma sessão de cinema 3D – sair do cinema e sentar na frente do PC é uma péssima ideia.

Dores de cabeça

Houve casos em que pessoas relataram crises fortes de enxaqueca em decorrência de terem assistido a um filme em 3D. Isso pode acontecer não só devido à má aplicação da tecnologia no filme, como também do corpo de cada pessoa e sua predisposição a dores de cabeça, enxaquecas, tonturas, náuseas e até vertigem.
 Se você tem histórico de algum problema que não seja na visão propriamente dita, mas que esteja relacionado a ela, antes de ir a uma sessão 3D, consulte seu oftalmologista e o seu médico para garantir que não haverá problema.

Como funciona o 3D?

Quais os cuidados que você deve ter ao assistir um filme 3D?

A diferença entre a tela do cinema e a vida real, é que, quando observam objetos reais, seus olhos também se acomodam a uma diferença de foco, já que as imagens estão de fato a distâncias diferentes. No 3D essa distância é falsa – os objetos estão todos no mesmo plano, na tela.
Por isso, pesquisadores acreditam que algumas pessoas podem ter problemas de ajustamento entre a acomodação e a convergência dos olhos.
Os espectadores têm de focar a uma distância (aquela entre a tela e os olhos), mas convergir a outra (aquela em que os objetos 3D parecem estar).
Isso deve ser a causa do desconforto.
No 3D, a ligação natural entre convergência e acomodação está quebrada.

Veja também:   Autoexames Reveladores - Faça o seu Hoje Mesmo!

Hollywood faz a sua parte

Segundo o Dr. Osvaldo Medeiros, que é uma autoridade no assunto, pois trabalha e pesquisa o 3D desde a década de 1970, é preciso que as equipes de produção dos filmes possuam oftalmologistas para dar consultoria sobre, por exemplo, os exageros que as produções podem cometer.
 O oftalmologista se mostra confiante a respeito da qualidade dos projetos em 3D que foram lançados até o momento e volta sua preocupação mais à higienização dos óculos do que à produção.

Se o projeto do filme for bem executado e bem produzido, com a ajuda da consultoria de oftalmologistas, não há o que temer, pois a quantidade de tecnologia envolvida é a ideal para que o filme fique bonito e envolvente, sem prejudicar a visão da audiência.
 Também vale lembrar que a maioria dos filmes em 3D são bem feitos, já que é necessário muito dinheiro para uma produção com a tecnologia.

Não consigo enxergar o 3D

Estima-se que um décimo da população mundial não é capaz de enxergar imagens com a tecnologia 3D, mesmo sem apresentarem qualquer tipo de problema de visão. Isso pode ser resolvido com alguns exercícios, conforme é mostrado no artigo dedicado só a falar de quem não consegue ver o 3D.

Em suma: se forem tomados os cuidados necessários para a higiene dos óculos 3D e não houver exageros na dose, não haverá problema, a menos que você tenha olhos sensíveis a esse tipo de imagem. Nesse caso, procure seu oftalmologista para tentar resolver.

Conseguindo o efeito 3D nas telas

Quais os cuidados que você deve ter ao assistir um filme 3D?

Samsung fez o alerta

A Samsung, empresa sul-coreana e uma das primeiras a trazer a TV em 3D para o Brasil, prevista para maio, alertou em seu website australiano sobre alguns sintomas que a exposição a essa tecnologia poderia trazer, principalmente para gestantes, crianças e idosos e quem já tenha algum problema, como labirintite.
Tontura, espasmos musculares, náusea, enjoo, ataques epilépticos e até convulsões estariam entre eles.
A empresa afirmou também que pessoas com problemas para dormir deveriam evitar usar o aparelho.

Ao colocar os óculos para assistir a filmes em 3D, a retina do olho precisa se adaptar para fazer as imagens se transformar em terceira dimensão, afirma Célia Roesler, neurologista e membro da Academia Brasileira de Neurologia. “Para algumas pessoas, o esforço cerebral pode ser maior e levar a uma fadiga ocular.
Há adultos e crianças que colocam os óculos e já enxergam a imagem em 3D imediatamente.
Outros, não”, diz.
Com isso, os desconfortos podem surgir.

Segundo a especialista, embora ainda não existam muitos estudos sobre a tecnologia, essas reações do organismo não são tão frequentes e as mais graves, como ataques epilépticos, podem ocorrer em quem já sofre com o problema, ainda que faça tratamento. As gestantes também merecem atenção.
“Elas já têm o metabolismo, frequência cardíaca, tireoide e fluxo sanguíneo cerebral alterados por conta da gravidez, e, por isso, correm mais risco de sentir tontura e náuseas”, diz.
A dica é nunca levantar bruscamente após o término de um filme e procurar o médico caso se sinta mal.

Veja também:   Teste de sangue detecta os efeitos de cirurgia

A febre se alastra

O 3D veio para ficar e encanta pessoas do mundo inteiro. Tanto é verdade que já estão sendo fabricadas televisões capazes de sobrepor as imagens para a criação da ilusão tridimensional. Mas deve-se ter cuidado, pois o tipo de problema que poderia afetar os usuários no cinema também pode prejudicar as pessoas que tiverem televisão 3D em casa.
 Quando as programações oferecerem a opção de assistir em 3D, a tecnologia ficará cada vez mais difundida e barata.
Isso é uma vantagem, pois as pessoas não precisarão pagar tão caro para aproveitar a novidade.
 Porém, como o conteúdo televisivo é mais acessível, podendo ser assistido no momento em que o usuário preferir, é preciso disciplina para não ficar o tempo todo assistindo à programação 3D, pois isso traria problemas de visão no futuro.

Para ilustrar a situação, pense nos seus olhos como o tanque de gasolina de um carro. Se dirigir o tempo todo com o “pé em baixo”, a gasolina acabará mais rapidamente. Se mantiver o giro do motor constante, sua gasolina durará mais.
 Da mesma forma, se você forçar demais seus olhos, ao longo dos anos poderão aparecer diversos tipos de problema de visão.
Sendo assim, o conselho é que, se você costuma assistir a conteúdo em 3D, faça isso com os cuidados de higiene necessários e com frequência que permita o descanso dos seus olhos.

Efeitos colaterais

Sonolência, cansaço visual, dores de cabeça, desorientação e diminuição da estabilidade de postura poderão ocorrer caso assista conteúdo 3D por longos períodos de tempo. Se isto ocorrer, desligue imediatamente a TV e descanse por pelo menos 30 minutos.

Quem deve evitar?

Os seguintes grupos de pessoas devem evitar assistir conteúdo 3D: mulheres grávidas, idosos, pessoas com problema cardíaco, que tenham problemas de sonolência ou que façam uso de bebida alcoólica antes e durante a reprodução de um conteúdo 3D.
 Entre elas, as crianças também é bom tomar cuidado: Crianças e adolescentes são mais suscetíveis a problemas de saúde relacionados com a visualização de conteúdo 3D.
Aos pais: supervisione o uso e evite que crianças com idade inferior a 6 anos assistam conteúdos em 3D.

Por fim, fique atento aos conteúdos de baixa qualidade, para que a diversão não se torne uma dor de cabeça, literalmente.

Artigos Relacionados