Sinusite: Saiba o que é, sintomas e tratamentos

Quando antibióticos, anti-inflamatórios e corticoides já não surtem efeito, o centro cirúrgico pode ser o melhor tratamento.

O sono fica prejudicado por causa do nariz entupido. As dores de cabeça são constantes. Sem uma noite em paz, mesmo as atividades do dia a dia acabam comprometidas. Os perfumes não têm graça, as comidas perdem o sabor e os comprimidos e sprays de corticoide se tornam inseparáveis.
O quadro é velho conhecido de quem já teve uma crise de sinusite – um processo inflamatório da mucosa que reveste os seios paranasais e que pode ter diferentes origens, desde alérgica a complicações de uma gripe comum.
Mas, no caso da forma crônica, os sintomas atormentam sem trégua a vida do paciente.

Quando antibióticos e anti-inflamatórios já não surtem efeito, há uma alternativa mais radical, mas, segundo especialistas, capaz de devolver a paz aos pacientes crônicos. “A cirurgia, geralmente, é o último recurso, indicada apenas na falha do tratamento clínico.
Mas existem alguns casos mais raros em que se opta de cara pelo procedimento, como sinusites agudas – com duração inferior a três meses -, que apresentam complicações graves, ou nos casos de infecção por fungo, que normalmente são mais resistentes aos antibióticos”, explica o otorrinolaringologista Fabrizio Ricci Romano, doutor na área pela Universidade de São Paulo.

A cirurgia vai depender do tipo de problema. Se a causa das infecções frequentes for anatômica, como pólipos nasais ou desvio de septo, o procedimento será de correção do problema. Para as sinusites fúngicas, é feita a remoção do fungo.
“A intenção é sempre ampliar a região de drenagem dos seios da face para que não acumule secreção, facilitando a limpeza e a chegada do remédio”, ilustra Romano.

Veja também:   Câncer de Ovário - Causas, Diagnóstico e Tratamento

O procedimento dura entre uma e quatro horas e o paciente volta para casa no dia seguinte. Geralmente, a cirurgia é feita com auxílio de um endoscópio e não há cortes nem cicatrizes externas. O alívio dos sintomas vem conforme a cicatrização ocorre.
“A cirurgia promove tanto um benefício do fluxo respiratório quando do processo inflamatório”, expõe o otorrinolaringologista André Luiz Woitech Hecksher.
“A melhora respiratória começa a ocorrer após uma semana, é nítida com 30 dias e progride até três meses, quando costuma estabilizar.
Já a melhora da sinusite se torna evidente a partir do terceiro mês e avança até um ano de pós-operatório.

Artigos Relacionados