Unha encravada: Como evitar e desencravar

Sofrendo com a unha encravada? Conheça o remédio caseiro para unha encravada e inflamada, aprenda como desencravar unha encravada em casa mesmo, e o que fazer quando possui unha encravada com pus.

Unha encravada quem teve jamais quer repetir a experiência. Os que nunca passaram pela situação, tremem com a ideia de sentir aquela dor de que só ouvem sobre nos relatos. Mesmo tomando conta apenas de um cantinho do corpo, uma unha encravada tem o poder de tirar toda a paciência de quem a carrega.

O problema, inclusive, tem nome próprio: onicocriptose. Esse palavrão dá conta daquele momento em que – por motivos variados – a unha cresce de forma a entrar na pele do dedo.

A unha encravada, é uma inflamação causada pelo crescimento de parte da unha em direção à pele, provocando lesão da mesma. A unha encravada costuma surgir no primeiro dedo, conhecido como dedão do pé

“O dedão do pé é o mais afetado, mas qualquer unha pode ser lesionada”, explica a podóloga Alessandra das Neves. De acordo com ela, aqueles que trabalham em contato com produtos químicos têm mais chance de desenvolver o problema nas mãos. Uma das razões mais comuns é o corte malfeito.

O indicado é que a unha sempre seja cortada em linha reta. Caso ela seja tirada arredondando os cantos, há quase certeza de que irá encravar.

“Principalmente naqueles que têm predisposição, que terão de cuidar dos dedos com ainda mais atenção. Eu já cheguei a atender bebês que estavam com o problema, mesmo sem nunca ter colocado um sapato na vida”, garante a profissional. Pessoas com limitações visuais e mesmo unhas grossas podem tornar o corte mais difícil, ocasionando o aparecimento da unha encravada.

Onicocriptose: Como surge a unha encravada?

A onicocriptose surge toda vez que a unha não cresce de forma correta, permitindo que a extremidade lateral cresça em direção à pele, causando feridas, inflamação e eventualmente, infecção do dedo. A unha normal deve crescer de forma vertical em relação ao dedo. A unha com forma normal não deve roçar, ferir ou empurrar a pele ao seu redor.

Alguns fatores facilitam o surgimento da unha encravada, entre os mais comuns podemos citar:

  • Uso de sapatos apertados, fazendo com que os dedos dos pés fiquem se espremendo.
  • Cortar as unhas de forma errada. O erro mais comum é deixar as extremidades laterais arrendondadas.
  • Cortar a unha em excesso, mantendo-as muito pequenas, a ponto de ferir a pele.
  • Variações anatômicas da unha, como no caso de unhas curvadas.
  • Lesões traumáticas da unha.
  • Infecção fúngica da unha (onicomicose).

Causas da unha encravar

A unha encravada pode ocorrer quando é colocada pressão extra sobre o dedo do pé. Mais comumente, essa pressão é causada por sapatos muito apertados ou largos. Se você caminha com frequência ou participa de corridas, até mesmo um sapato um pouco mais apertado pode causar esse problema.
Algumas deformidades do pé ou dos dedos também podem colocar pressão extra no dedo.

Unhas que não são cortadas corretamente também podem causar o problema. Quando as unhas dos pés são cortadas muito curtas ou as bordas são arredondadas em vez de cortadas retas, a unha pode virar e crescer para dentro da pele.

Visão ruim ou incapacidade física para alcançar o dedo do pé com facilidade, assim como unhas grossas, podem facilitar o corte inadequado das unhas. Desprender ou separar os cantos das unhas também pode ocasionar uma unha encravada.

A pele inflamada fica inchada e forma uma barreira ao progresso da unha que é mais dura e, conforme cresce, vai se “enfiando” na pele, causando os sintomas mais  comuns como dor e piora da inflamação.

Veja também:   Remédios para emagrecer. Será que vale a pena usá-los?
Algumas pessoas nascem com unhas curvadas e que tendem a crescer para baixo. Outras têm unhas muito grandes em relação aos dedos. Friccionar o dedo ou outras lesões também pode levar à unha encravada.

Sintomas de unhas encravadas

Alguns tipos de unha ou o que pode acontecer a elas:

Unha em telha: é caracterizada pelo aumento da curvatura transversa, com as bordas laterais paralelas ao eixo longitudinal (da raiz a ponta das unhas), deixando-a com o aspecto similar ao de uma telha.
O tratamento pode ser feito de forma conservadora, com a colocação de lâminas flexíveis que fazem pressão sobre a placa ungeal e diminuem a curvatura, ou com a cirurgia.

Unha em pinça: apresenta uma distrofia com hipercurvatura transversa, que aumenta ao longo do eixo longitudinal da sua formação. Nas extremidades, suas bordas apertam os tecidos moles, que são pinçados. O tratamento é semelhante ao da unha em telha.

Unha Funil: é uma unha afunilada na ponta e dobrada nas laterais, tornando-as profundas e dificultando seu corte.

Unha Gancho: é uma unha que aparenta ser defeituosa, já que apenas um dos lados são dobrados e mais profundos, o que exige cuidado na sua manutenção e correção, até deixar esse lado normal.

Unha Torquês: é uma unha cuja as laterais são bem pontiagudas. Ela é igual à unha gancho, mas ao invés de ter só um lado profundo, tem os dois.

Unha Caracol: é uma unha que tem as laterais bem dobradas, a ponto de formar um “c”, o que torna seu corte bem complicado.

Confira as características de cada tipo de unha e veja como cuidar

Unhas secas: quebram facilmente ou começam a rachar. Cutículas geralmente são mais grossas e levantam. Para cuidar, o ideal é hidratar unhas e a cutícula diariamente com produto à base de vitamina E durante todo o dia, fazendo uso de um bom creme para a região.

Unhas sensíveis: são fracas, ressecadas e podem apresentar áreas doloridas na pele ao redor. Produtos como detergentes ou mesmo sabonetes podem provocar essas irritações, assim como o esmalte. Para mudar esse quadro, produtos com queratina na fórmula e esmaltes hipoalergênicos e sem fragrância podem ajudar.

Unhas mistas: a característica mais comum das unhas mistas é a dificuldade de crescimento. Portanto escolha um produto com fortalecedor para unhas e mantenha o comprimento mais curto.

Unhas oleosas: se o esmalte começa a descascar após dois dias da aplicação, é provável que as unha sejam oleosas. Para esses casos, podem ser usados esfoliantes para unhas ou é ainda lixá-las bem antes de aplicar o esmalte

Hematoma subungeal: é um trauma agudo sofrido na região da unha – decorrente da queda de um objeto, por exemplo – que provoca dor severa. Normalmente os casos leves não requerem tratamentos.

Verrugas: são tumores benignos causados por infecção pelo HPV. Elas podem crescer em quaisquer dos tecidos moles ao redor das unhas. Podem ser tratadas com ácidos tópicos, quimioterapia, crioterapia e imunoterapia.

Unha encravada, o que fazer?

Sintomas leves de uma unha encravada:

  • Inflamação do dedo, na pele ao redor da unha (pele vermelha e com inchaço – edema)
  • Dor ao fazer pressão no dedo
  • Não há pus
  • Pode começar somente com desconforto sem sinais mais claro de inflamação
Sintomas moderado de uma unha encravada

  • Aumento da inflamação do dedo
  • Dor
  • Inflamação do dedo: pus (de cor branca, verde ou amarela) na área afetada
  • Sangramento
Sintomas graves de uma unha encravada:

  • A inflamação fica maior: dor, inchaço e vermelhidão intenso
  • Um crescimento excessivo da pele ao redor da lesão (hipertrofia)
  • Infecção grave
  • Dificuldade de manipulação da pele e da unha
Existem várias coisas diferentes que podem causar unha encravada. A causa mais comum é o trauma na pele por corte de maneira incorreta do canto das unhas ou o uso de sapatos apertados, como sapatos de bico fino.

Veja também:   Estrogênio - Dificulta as infecções urinarias
Os sintomas iniciais da unha encravada são leve dor, vermelhidão e inchaço no canto do dedo. Conforme a unha vai crescendo, a pele ao redor se expande e pode cobrir totalmente o canto da unha que está a feri-la. Com o tempo, a ferida provocada se torna mais intensa, havendo agravamento dos sintomas e drenagem de pus.
A presença de secreção purulenta não indica necessariamente uma infecção em curso, ela pode ser apenas uma reação do organismo contra a agressão da unha sobre a pele. Todavia, se não tratada adequadamente, quanto mais tempo a unha encravada permanece ferindo a pele, maior o risco de uma infecção surgir no local.

A unha encravada não costuma causar maiores problemas além do desconforto e da dor. Porém, em alguns indivíduos ela pode ser o gatilho para infecções mais graves, como nos casos dos pacientes com diabetes, problemas circulatórios ou imunossuprimidos.

Estes paciente têm dificuldades de cicatrização e possuem o sistema imunológico mais fraco que o habitual.
Neles, a unha encravada pode provocar úlceras, celulites ou erisipelas, gangrena ou osteomielite (infecção dos ossos).

Tratamento de Unha encravada

O tratamento para unha encravada depende da gravidade da lesão. O ideal é tratar antes de uma grande inflamação surgir, pois sem dor é mais fácil manusear a unha.

Nos casos leves, o tratamento pode ser feito em casa pelo próprio paciente, sendo fácil curar a unha encravada sem a necessidade de remédios, pomadas ou cirurgias.

Como desencravar unha encravada

Você deve estar se perguntando, como desencravar unha encravada, não é mesmo?

Uma opção simples é usar um cotonete fino, pinça ou fio dental para tentar levantar cuidadosamente a parte lateral da unha de forma a retirá-la debaixo da pele, desencravando-a. Para evitar que a unha volte a encravar, tente colocar uma pequena bolinha de algodão por baixo do canto da unha para ajudá-la a crescer na direção correta.
Se esse tratamento for feito bem no início do quadro, como ainda não há inflamação importante ao redor, o processo é praticamente indolor.

Se a inflamação da unha estiver sendo muito incômoda, outra opção é mergulhar o pé em água morna por 10 minutos enquanto se tenta puxar suavemente com os dedos a pele úmida e amolecida no canto do dedão, de forma a libertar a unha. Esse processo deve ser feito 3 vezes por dia por pelo menos 1 semana.

Do mesmo modo, após secar o dedo, coloque um pedacinho de algodão por baixo da unha para ajudar a direcionar o seu crescimento. Troque o algodão a cada vez que ele ficar molhado.

Em ambos os tratamentos, a unha costuma desencravar após 1 ou 2 semanas, conseguindo crescer sem causar lesão à pele. Neste meio tempo, se não houver grande inflamação, não corte a unha, permita que ela cresça o suficiente para ultrapassar a região da pele que estava sendo ferida.

Por outro lado, se já houver alguma inflamação e dor, após levantar a ponta da unha, você pode cortá-la, para interromper o processo de lesão da pele.

Dias depois, quando a pele já não estiver mais inflamada, use as dicas acima para impedir que a unha cresça novamente em direção à pele, voltando a encravar.

Se necessário, para aliviar a dor quando se tenta levantar a unha encravada e inflamada, pode-se passar uma pomada anestésica como lidocaína no local. Após a colocação do algodão ou gaze, se o indivíduo continuar com dores, pode tomar um remédio analgésico e anti-inflamatório como Ibuprofeno ou Paracetamol, por exemplo.

Esse procedimento é ideal para quando a unha está suavemente encravada mas ainda não está inflamada;Passar alguma solução antisséptica e cicatrizante como o Povidine, por exemplo, para ajudar na cicatrização e evitar que a região infeccione.

Bom, mas se tiver a unha encravada e inflamada?

Unha encravada e inflamada

Nos casos mais severos, onde há unha encravada e inflamada e com secreção purulenta, a dor costuma ser muito forte, dificultado a manipulação da pele e da unha. Se você não suporta a dor, esse processo pode ser feito no consultório médico com anestesia local.

Veja também:   Boas festas! Festeje com moderação
Se houver suspeita de infecção ou se o paciente tiver fatores de risco para complicações, o ideal é remover cirurgicamente a parte lateral da unha que está encravada.

A cirurgia para unha encravada é muito simples e pode ser feita em alguns minutos no próprio consultório.
No pós-operatório, aconselha-se o paciente a usar pomadas com antibióticos, geralmente à base de mupirocina.

Se a unha encrava com alguma frequência, o tratamento cirúrgico pode ser um pouco mais abrangente, removendo toda a parte lateral da unha, de forma a obrigá-la a crescer verticalmente, sem encostar na pele ao lado.
Nos casos mais graves, indica-se a destruição química, por Laser ou cauterização de parte da unha e seu leito para evitar que a mesma volta a crescer.

Se você tiver diabetes, dano ao nervo da perna ou pé, má circulação sanguínea no pé ou infecção ao redor da unha, consulte o médico imediatamente. Não tente tratar o problema em casa.

Caso a unha encravada não curar ou voltar a ocorrer, seu médico poderá remover parte da unha.

Se o dedo estiver infeccionado, seu médico ainda poderá lhe prescrever antibióticos.

Quem tem familiares com histórico de unha encravada deve ficar atento, pois o problema costuma ser hereditário e aparecer logo nos primeiros anos de vida. O dedo que mais sofre é o dedão, que geralmente é pressionado pelo dedo do lado. Nesse pequeno espaço, a queratina acaba crescendo embaixo da unha.

Mas se desesperar não adianta, e cortar essa unha em casa pode ser perigoso e desencadear uma infecção.

Unha encravada com pus

Se vocês estiver com unha encravada com pus, procure por um dermatologista,  pois geralmente é necessário a utilização de pomadas antibióticas na unha para tratar a infecção antes de cortar a unha.

Normalmente o profissional deve também levantar a unha e colocar um pouco de algodão ou gaze, mas alguns médicos podem preferir cortar os cantos da unha, removendo os pedacinhos de unha que encravaram na pele e passar a pomada antibiótica na unha encravada com pus.

Jamais esprema pus da região machucada para não piorar o ferimento.

Segue uma receita de remédio caseiro para unha encravada que funciona muito bem, na maioria dos caso:

Como aliviar a dor da unha encravada

A unha fica encravada costuma vir acompanhada de muita dor, nesse caso é aconselhável passar uma pomada anestésica no local, fazendo uma suave massagem.

Porém, é muito importante tratar a unha encravada antes que ela infeccione. Se você notar que há pus no local, procure um médico imediatamente, pois isso pode ser sinal de que a área já está infeccionada.

Remédio caseiro para unha encravada

Segue alguns exemplos de remédio caseiro para unha encravada:

Suco de cebola

Faça um suco de cebola e introduza o dedo com as unhas encravadas, durante alguns minutos até encharcá-las bem. Deixe secar e em pouco tempo verá os resultados, faça todos os dias. Ingredientes: 1 cebola e 200 mL de água. Faça diariamente suco de cebola (liquidifique uma cebola com 200 ml de água e coe). E introduza o dedo com a unha encravada, por alguns minutos, nesse suco até encharcá-la bem. Deixe secar e em pouco tempo a unha estará curada.

Água com sal

Antes de deitar-se, prepare uma solução de água com sal e introduza o dedo e depois o tape com gaze. Deixe atuar durante toda a noite.

Alho

Para curar sua unha encravada você pode aplicar alho, um curativo natural muito utilizado nestes casos. Esfregue meio dente de alho pela região doente e verá o efeito em pouco tempo.

Utilizando esses remédios caseiros para unha encravada terá grande chances de sucesso para desencravar sua unha.