Vai casar? Check-up a dois

Não eles não caíram de moda. Os exames pré-nupciais ainda são importantes para a saúde do casal. E mais: Dicas para ficar calma no dia do casamento e como evitar que seja enganada na hora da festa.

Buquê, bem-casados, os noivinhos do bolo, o vestido da daminha, a despedida de solteiro… Na lista dos preparativos, inclua mais um item: exames pré-nupciais. Pode-se pensar que isso é coisa do passado, mas assegurar-se da saúde dos órgãos reprodutores nunca cai de moda. Por isso esses testes continuam sendo uma providência desejável.
Aliás, talvez até mais importante do que antigamente.

“Tanto homens quanto mulheres iniciam a atividade sexual muito cedo, o que aumenta o número de parceiros antes do casamento”, diz o ginecologista Marcelo Valle, da Clínica Origen (RJ).

“Com isso, aumentam também as chances de contrair uma doença sexualmente transmissível, que deve ser tratada antes de se iniciar um relacionamento sexual mais duradouro”.

Mais do que um modismo, a volta da procura pelos pré-nupciais é uma forma de entrar no relacionamento com o pé direito. E são dois os objetivos: verificar a presença de doenças de modo geral – principalmente aquelas ligadas ao aparelho reprodutor – e investigar a fertilidade.

Mesmo que o casal já tenha uma vida sexual ativa, o casamento pode servir como pretexto para fazer esse checkup, já que muitas vezes marca também o início da vida reprodutiva.

“A medicina hoje permite, por meio de inúmeros recursos, a detecção precoce de uma série de doenças que, quando diagnosticadas cedo, podem ser tratadas sem deixar sequelas”, diz Silvana Chedid, diretora do Centro de Endoscopia Pélvica e Reprodução Humana do Hospital Beneficência Portuguesa e da clínica Chedid Grieco de Medicina Reprodutiva (SP).

E não são apenas as mulheres que devem se submeter a essa bateria de exames. Embora o cardápio para os homens seja menor, é importante rastrear a existência de doenças sexualmente transmissíveis e fazer um espermograma. “Para a mulher, visitar um ginecologista é uma rotina.

O homem é mais resistente, e em geral chega ao consultório por exigência da parceira”, diz o urologista Renan Desimol Cabral, chefe do setor de urologia do Hospital da Brigada Militar (RS).

“A consulta pré-nupcial visa orientar sobre anticoncepção. E ela deve ser feita, no máximo, três meses antes da data do casamento”, diz a ginecologista Rosiane Mattar, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Nessa ocasião, o médico orienta sobre exames importantes para verificar se a mulher está protegida de doenças (rubéola e toxoplasmose) que podem provocar malformações, caso ela engravide.
” Esses exames permitem a solução de problemas nos casos da existência de alguma doença a ser tratada.
Tudo pode ser resolvido com calma, sem comprometer a hora de dizer “sim”.

 Para elas

Para as mulheres, o check-up inclui exames de imagem e sangue.

Papanicolau: verifica possíveis alterações nas células cervicais (contidas no colo do útero), que podem ser indicativas de câncer. O Papanicolau também detecta infecções provocadas por fungos ou por vírus na região do colo do útero, verrugas genitais, herpes.

Ultrassonografia transvaginal: exame de diagnóstico por imagem que avalia a anatomia do útero, colo, ovários e trompas. O médico introduz na vagina um transdutor, que é o que vai captar o sinal transformado em imagem. Se a mulher ainda não tem vida sexual, o exame é substituído pela ultrassonografia abdominal.

Sorologia para rubéola: exame sanguíneo que verifica a imunização contra a rubéola.Se não for o caso, o indicado é vacinar-se antes de engravidar. Rubéola na gravidez é sério, principalmente nos dois primeiros meses. Durante esse período, são de 40% a 60% as chances de aborto ou máformação.
Esse número cai para 30% a 35% no terceiro mês e para 10% no quarto mês.
Depois disso, praticamente não há mais perigo.

Sorologia da toxoplasmose: exame que verifica se a paciente tem a doença, que exige cuidado antes da gestação,. Ela é contraída ao comer comida contaminada por parasita. Se há a doença ou for contraída durante a gravidez, o risco é aborto, parto prematuro ou malformação, principalmente no cérebro.

Veja também:   Doença silenciosa: aplicada no olho, injeção reverte cegueira causada por diabetes

Exames hormonais: investigam a fertilidade e são feitos com coleta de sangue ou de urina para saber qual o período em que a mulher ovula e como está seu estoque de óvulos.

Para a mulher, visitar um ginecologista é uma rotina. O homem é mais resistente, e em geral chega ao consultório por exigência da parceira

Para eles

O cardápio de exames específicos para o sexo masculino é reduzido

Espermograma: o objetivo é saber se a quantidade e a qualidade de espermatozoides são normais. Observam- -se primeiro o volume e a consistência. Entre 3 e 5 ml, é considerado normal para homens até 40 anos. Contagens abaixo de 1 ml podem indicar problemas. A consistência deve ser gelatinosa nos primeiros 10 a 30 minutos.
Se apresentar-se líquido já na ejaculação, pode ser sinal de poucos espermatozoides.
Depois, parte-se para o exame microscópico para se verificar o número de espermatozoides, como se movimentam e sua constituição morfológica

Para os dois

Alguns exames devem ser feitos juntinhos. Exames para rastreamento de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) como sífilis, gonorreia e Aids. As duas primeiras são facilmente tratáveis com antibióticos. No caso de uma gestação, se não forem cuidadas, podem ser transmitidas para o feto. O causador da sífilis atravessa a placenta.
Já o da gonorreia infecta o bebê na hora do nascimento.
O bebê pode vir a ter pneumonia, conjuntivite, meningite, hepatite, entre várias outras doenças.
Quanto ao vírus da Aids, o cuidado deve ser redobrado, pois a doença não tem cura.
Caso um dos dois seja portador, o uso de camisinha é indispensável, e a gravidez deve ser considerada somente sob orientação médica.
Os outros exames são: tipagem sanguínea e hemograma:.

Tipagem sanguínea: identifica-se o Rh positivo ou negativo. A maioria é positivo, e isso significa que há uma proteína a mais na superfície do glóbulo vermelho. Se a mãe for Rh negativo e o pai positivo, existe uma chance de o bebê ser positivo.
Se seu sangue entrar na corrente sanguínea da mãe, ela passa a produzir anticorpos que, na primeira gravidez, não causam mal.
Mas, numa segunda gravidez, esses anticorpos podem afetar o bebê, causando anemia, icterícia , insuficiência cardíaca etc.

Fator RH – cuidados

.

O fator RH esta ligado à presença de uma proteína específica no sangue. Quem a possui, ou seja 85% da população Mundial, tem fator positivo ( RH+ ). Os que não tem, tem fator negativo ( RH- ).

A importância do exame no pré-natal, conhecido como “tipagem sanguínea”é para tratar de forma especial os casos com Bebês de RH + ( positivo ) herdado do pai, em gestação em mães com fator RH – ( negativo ).
Portanto, o problema está no fato do sangue materno ao ter contato e não reconhecer a proteína do sangue do feto ( RH+ ), reage criando anticorpos para destruí-lo.
Isto significa um ataque ao sistema imunológico da mãe ao sangue do bebê cujas células vermelhas vão sendo destruídas.

Baseado no resultado do exame, há dois caminhos;

– Se não há anticorpos ao RH+ no sangue da mãe, aplica-se uma dose da vacina anti-D na 28º semana de gestação e outra apôs o parto ( evita a formação natural dos anticorpos ).

– Se já há anticorpos, é fundamental um bom acompanhamento de toda a gestação, monitorando o desenvolvimento fetal. Casos mais graves antecipam o parto ou faz-se necessária uma transfusão de sangue intra-uterina, feita por cateter. Após o nascimento, o bebê passa por fototerapia para eliminar a “bilirrubina” acumulada.
Se necessário, recebe transfusão total do sangue.

Riscos

Doença Hemolítica do RN, manifestado por anemia profunda que pode ser letal, quadros graves de icterícia, paralisia cerebral, lesões auditivas e no sistema nervoso e insuficiência cardíaca.

O inverso não é verdadeiro, ou seja; A mãe com RH+ e o feto com RH- não são conflitantes.

Grupo Sanguíneo

Existem 4 tipos de grupos sanguíneos. O grupo A tem anticorpos contra o B e vice versa.
O grupo AB não possui anticorpos contra nenhum outro e o grupo O tem anticorpos contra todos os outros.
O risco de incompatibilidade só existe quando a mãe com sangue O gera um bebê de sangue A ou B.
Os efeitos são mais brandos e sua manifestação só acontece apôs o parto, na forma de uma “icterícia”, que é tratada por fototerapia.

Veja também:   Raiva - Saiba o que é, sintomas e tratamentos

Hemograma: trata-se de um exame de sangue que quantifica os diferentes tipos de células sanguíneas e pode identificar, entre outras coisas, a presença de anemia ou de infecções.

Genética só para alguns

Os exames genéticos não são rotineiros, mas aconselhados para casais com algumas características específicas. Mas, para alguns deles, podem ser determinantes se a ideia é ter filhos.
“Esses exames poderão ser solicitados se houver a história de alguma doença genética na família, ou ainda se a mulher tiver antecedentes de aborto de repetição ou de outros filhos com problemas”, diz a médica Silvana.
No caso de casamentos consanguíneos (entre primos, por exemplo), a consulta de aconselhamento genético é essencial.
Dependendo da incidência de determinadas doenças, como a fibrose cística, serão solicitados exames específicos.
Por serem parentes, a probabilidade de os dois terem o gene que leva a determinada mutação é maior.

Calmos no altar

É mais do que normal os casais ficarem nervosos no dia do casamento. A psicóloga e psicoterapeuta Cynthia Schincaglia, do Rio de Janeiro, dá algumas dicas para relaxar um pouco no dia D.

  • Procure conciliar os preparativos finais do casamento com atividades relaxantes como massagens, ioga, meditação e exercícios de relaxamento.

  • Evite mudanças radicais às vésperas do casamento, como um novo corte de cabelo, pintar o cabelo ou trocar de emprego.
  • Não se preocupe tanto com os preparativos da festa, você contratou uma equipe especializada que está mais do que acostumada com esses eventos.
  • Não entre em pânico se algo sair diferente do que você planejou.
    Pequenos problemas podem ocorrer.
    E os convidados geralmente nem reparam nos detalhes.
  • Não deixe preparativo algum para a última hora.
    Planeje o casamento com pelo menos um ano de antecedência.
  • Não tome bebidas alcoólicas ou calmantes, melhor ficar nervoso do que bêbado ou sedado.
    Tente relaxar naturalmente, ouvindo uma música tranquila ou tomando um banho de hidromassagem.
  • Tratar bem as pessoas.
    Não vale a pena descontar momentos de estresse nos outros, principalmente nos que lhe são queridos.
    Lembre-se de que o casamento dura um dia, família e amigos duram para sempre
  • Mantenha-se aberta.
    Mesmo em momentos tranquilos ou que esteja sob controle, mantenha em mente que é importante ouvir a opinião dos outros, principalmente dos que estão diretamente envolvidos no casamento.
  • Faça algo para si.
    Tenha como meta fazer algo para si diariamente, mas é importante que isso não envolva o casamento.
    Se usar todo o tempo livre para planejar a cerimônia e festa é provável que acabe estressada.
    Faça caminhadas, saia com amigas, mantenha a vida em ritmo normal, dentro do possível.
  • Não culpar o noivo.
    Em vez de começar a reclamar que sua cara metade não está a fim de ajudar em nada, combine no início do planejamento que tarefas serão feitas por quem.
    Se ele não ficar responsável por nada e você concordar, não vale cobrá-lo mais tarde.
    Também não é justo criticar as decisões tomadas pelo noivo.

Quando o bebê não vem

Alguns casais, embora ainda não casados, podem estar tentando engravidar, sem sucesso. Se, depois de dois anos tentando engravidar, isso não acontecer, é o caso de fazer uma investigação para verificar o motivo. Os exames mais simples começam com medição dos níveis hormonais femininos, feitos por meio de exame de sangue.
Depois, passase para exames mais invasivos, como a coleta de tecido do útero um ou dois dias antes do ciclo para verificar se a produção de progesterona é adequada.
Se for necessário continuar a investigação, parte-se para exames de imagens, como a sono-histerografia, uma espécie de ultrassom durante o qual se injeta uma solução salina no útero para melhorar a visualização.
Cerca de 40% dos casos de infertilidade estão relacionados a problemas masculinos (produção de espermatozoides).
Por isso, o exame mais indicado e preliminar para uma pesquisa sobre fertilidade é o espermograma.

A festa
Os cuidados para quem vai se casar

O mercado de casamentos atraiu muitos fornecedores e, como em qualquer ramo, existem aqueles que buscam apenas o dinheiro dos consumidores. Golpes nesse setor não são incomuns. Para que essa união não comece mal, devemos consumidores tomar cuidados simples, que podem evitar futuras dores de cabeça.

  • A primeira recomendação é que o consumidor só contrate por escrito.
    Mesmo com as igrejas, que costumam cumprir sem maiores problemas o que foi combinado, é aconselhável que sejam firmados contratos escritos, ainda que simplificados.
  • O que importa é ter um documento escrito na mão, ainda que seja um recibo, indicando o dia e a hora do casamento, o nome daquele que estará encarregado da celebração, o valor pago e as condições que deverão ser cumpridas, como tolerância de atraso, por exemplo.
  • Deve o consumidor também estar atento ao sinal pago em todos os contratos que firmar, uma vez que, na ausência de disposição contratual específica, esse será o valor pago ao fornecedor nos casos de arrependimento.

  • Como muitos contratos relativos a casamentos geralmente são firmados com antecedência, acontecem casos de ruptura do noivado entre a data da contratação e da realização da cerimônia.
  • Os contratos também devem prever, detalhadamente, as obrigações do consumidor e dos fornecedores.
    As obrigações dos fornecedores variam de acordo com o ramo de atividade.
  • No caso do vestido da noiva, recomenda-se que o contrato preveja se se trata de aquisição, de primeiro aluguel ou de aluguel de vestido usado; o preço e a forma de pagamento; o modelo do vestido que,preferencialmente, deve ser desenhado para comprovar eventual disparidade e o prazo de entrega.
    Essas são as condições mínimas que devem constar do contrato.
  • O contrato do buffet deve mencionar a data, a hora e o local da festa; o seu período de duração; os itens que serão servidos; as bebidas e comidas incluídas e não incluídas; a quantidade de garçons e o sistema do serviço.
  • O contrato do fotógrafo deverá mencionar o número de fotos pagas, bem como o valor que será cobrado pelas eventuais fotos excedentes, o valor das ampliações e se serão entregues os negativos ou se eles serão armazenados e por quanto tempo.
  • Também recomenda-se ao consumidor que faça pesquisa em nome das empresas que serão contratadas, via internet, no Tribunal de Justiça e no Procon.
    Empresas que têm contra si várias ações e reclamações costumam causar problemas e devem ser evitadas.
  • Especial cuidado deve ser tomado em relação ao buffet, porque são comuns as falências nesse ramo de atividade.
    Vale a pena o consumidor optar por empresas já consolidadas no mercado, evitando empresas recentemente inauguradas.
  • Se pagar com cheques pós-datados, popularmente conhecidos como “pré-datados”, deverá o consumidor exigir que seus números e as datas dos depósitos constem do contrato, a fim de que, caso ocorra o seu depósito antecipado, possa exigir eventual indenização.
    Os fornecedores costumam fazer o desconto antecipado dos cheques com outras empresas que, nem sempre, observam as datas de depósitos combinadas.
  • Enfim, para cada ramo de atividade, para cada tipo de contrato, existem circunstâncias específicas que deverão constar.
    A omissão de qualquer desses elementos poderá representar problemas futuros para o consumidor.

 

Tomando esses cuidados, o consumidor dificilmente terá problemas.

Acompanhe cada ano do seu casamento – TABELA DE ANIVERSÁRIO DE BODAS

Além das tradicionais bodas de prata e de ouro, que rendem as maiores festas e eventos sociais, para todos os anos existe uma boda a se comemorar. De pedras preciosas a madeiras, muitos elementos naturais dão nome a cada aniversário de casamento, desde o 1º ao 100º.

O nome boda (que no Brasil chamamos usualmente de bodas, no plural) é bastante conhecido, mas a sua origem etimológica nem tanto.
A corrente de pesquisa mais completa aponta que a palavra seria uma derivação do termo em latim votum, que significaria promessa – o que traduzimos como o compromisso de união que o casal assume diante da sociedade em geral e de seu grupo religioso em particular.

Veja também:   Cirurgia Plástica não tem idade

Artigos Relacionados