Tratamento para acne – Remédio para manchas de acne

A acne não é um problema banal, é uma dermatose que associa diferentes tipos de lesões, ou seja, doença inflamatória da pele, que não envolve risco de morte, não atinge órgãos internos e não é contagiosa.
No entanto, a acne desfigura, provocando alterações importantes de marcas físicas e psicológicas, de grande predominância, conhecida como acne vulgar ou juvenil, chegando a atingir até 80% dos adolescentes no início da puberdade, podendo alcançar também a fase adulta, principalmente em mulheres jovens e até a terceira idade, manifestando de diferentes formas em cada indivíduo.
Os quadros mais graves acometem o sexo masculino.
Em algumas situações, sua manifestação clínica é tão intensa que chega a repercutir estética e socialmente, acarretando sérios prejuízos psicossociais, promovendo isolamento e baixa auto-estima.

A Acne afeta os poros por onde saem os pelos (folículos pilo-sebáceos) e é causada por uma hiperatividade das glândulas sebáceas causada por estimulação hormonal. O aumento da produção de sebo leva à obstrução dos folículos pilosos, isso causa a sua inflamação levando à formação das erupções próprias da acne.
Os quadros mais graves acometem o sexo masculino, pela maior quantidade de pelos existentes e pela ação dos hormônios masculinos, porém as mulheres não estão livres da acne, onde aparecem mais precocemente.
Existem, contudo, algumas situações que podem agravar o quadro de acne, como é o caso da Síndrome dos Ovários Policísticos, em que ocorre uma diminuição dos hormônios femininos e um aumento da produção de hormônios masculinos levando ao aumento da quantidade de pelos corporais e consequentemente ao aumento da incidência da acne.
Nestes casos, ocorrem também alterações do ciclo menstrual.
Embora seja um comentário geral, não existem evidências científicas de que alimentos oleosos ou gordurosos aumentem a incidência de acne.

Classificação da Acne

Acne grau I: (comedônica): comedões abertos e fechados sem sinais inflamatórios.

Acne grau II: (pápulo-pustulosa): comedões, pápulas vermelhas e inflamadas e pústulas (espinhas) com pus.

Acne grau III. (nódulo-cística): aparecimento de cistos, ou seja, de lesões mais profundas, inflamadas e dolorosas.

Acne grau IV: (conglobata): nódulos, abcessos e cistos purulentos, muito inflamados e intercomunicantes. Essa forma da doença pode conferir ao portador aspecto desfigurante.

Acne fulminante

Os autores que classificam a acne em cinco graus, incluem a acne fulminans, uma forma ulcerativa e rara que afeta mais comumente adolescentes do sexo masculino.
Tem início agudo associado com sintomas sistêmicos como febre, perda de peso, artralgia (dor articular devido a inflamação), mialgia (dor em um músculo ou grupo de músculo), eritema nodoso (é uma inflamação dermatológica, caracterizada pelo aparecimento de nódulos dolorosos sob a pele) e hepatoesplenomegalia (Aumento simultâneo de volume do fígado e do baço) podem ocorrer.

Pode ser induzida pela isotretinoína e alguns autores acreditam que a ocorrência do quadro seja dose dependente. O tratamento é controverso, não havendo padronização até o momento. Apresenta-se caso desta rara doença, desenvolvida durante o uso de isotretinoína em baixas doses..

Descrita pela primeira vez, em 1959, por Burns & Colville, a acne fulminans (AF) é uma afecção rara e a forma mais grave de acne cística. Acomete, principalmente, adultos jovens, do sexo masculino, entre 13 a 22 anos, com história prévia de acne vulgar. Estimas-e que ocorre em menos de 1% da totalidade dos casos de acne.
Caracteriza-se por aparecimento de nódulos inflamatórios dolorosos, nas áreas habituais de acometimento da acne, nas quais ulceram e se recobrem por crostas hemorrágicas.

Alguns autores acreditam que a ocorrência das lesões seja dose-dependente, outros, não. Embora não haja um consenso, foi evidenciado que os relatos existentes, na literatura, de pacientes que desenvolveram acnes fulminans (AF) no curso de isotretinoína via oral, estavam usando doses plenas e até altas (maiores que 1mg/kg/dia).

O tratamento da acne fulminans é, até hoje, um desafio, pois é desconhecida uma droga eficaz no controle e na prevenção das crises. Atualmente, os medicamentos utilizados só atuam sob o uso prolongado, desencadeando inúmeros efeitos colaterais. Os antibióticos orais produzem resposta discreta no quadro cutâneo e nos sintomas sistêmicos.
As terapêuticas disponíveis são: os glicocorticoides, a isotretinoína e o levamisol.

A pele humana

A pele é formada por várias camadas de células que revestem todo o corpo. Na pele também estão presentes os pelos, as glândulas sebáceas e as glândulas de suor. Os poros são as aberturas microscópicas na pele onde saem os pelo e desembocam as glândulas de óleo e de suor.
Os pelos são chamados de folículos pilosos e possuem uma glândula sebácea associada.
Estas glândulas secretam óleo (sebo) para manter os pelos e a pele lubrificada.
Normalmente, o sebo passa pelo folículo piloso como em um canal e chega até a superfície da pele.

A acne ocorre quando a o folículo piloso torna-se entupido por óleo e células mortas. Como uma rolha ou “plug” de gorduras e células mortas.

Quando este “plug” chega até a superfície da pele o ar ambiente o oxida, tornando-o escuro, originando o cravo escuro ou comedão aberto.

Quando a rolha de gordura e células mortas fazem as paredes do folículo se fecharem forma-se uma saliência branca ou avermelhada, originando a pápula ou comedão fechado.

Quando o conteúdo do folículo torna-se inflamado e infectado por bactérias, existe a produção de pus, originando as pústulas.

Quando o bloqueio dos folículos acontece em regiões profundas da pele são originados os cistos.

As causas da produção excessiva de sebo e da descamação irregular não estão completamente elucidadas, mas existem fatores associados como hormônios (testosterona e estrogênio), bactérias, alguns medicamentos e fatores genéticos.
Contrariando o senso popular, alimentos têm pouca participação na causa da acne, sendo que alguns alimentos podem desempenhar alguma piora em casos individuais.
Sujeira também não causa acne.
De fato, esfregar a pele ou utilizar sabonetes fortes podem irritar a pele e piorar a acne.

Consequências da Acne

A acne, conforme o tipo das lesões, pode causar cicatrizes em alguns casos, e é esta a sua única conseqüência visível a longo prazo. Suas conseqüências mais preocupantes são, na verdade as psicológicas. Ocorre, conforme o grau, grande redução da auto-estima, vergonha de sair de casa e depressão.
O pior é que a acne geralmente aparece na adolescência, quando as pessoas tendem a ser mais inseguras socialmente.

Alvos, em alguns casos, de discriminação, as pessoas acometidas pela doença em elevado grau buscam, em vários casos, o isolamento social. A acne atinge a vida social do indivíduo profundamente, pois é justamente na fase da adolescência em que se desenvolvem as relações sociais e o amadurecimento emocional e psicológico.
Por esses motivos, é aconselhável, além do tratamento físico, o acompanhamento psicológico do paciente, para que saiba lidar com a doença e não se afaste do meio social.

Por que acontece?

Uma das grandes vantagens que o adolescente vê em sair dessa fase é deixar a acne pra trás, no passado, certo? Infelizmente, não é possível mais afirmar que, ao virar adulto, você deixará de ter espinhas. Isso porque uma das grandes reclamações dos pacientes acima dos 20 anos em consultórios dermatológicos é o fato de voltar a ter acne.
As causas são variadas, bem como os tratamentos, como você descobre agora!.

Veja também:   Cáseos amigdalianos: saiba como prevenir as desagradáveis ‘pedrinhas’ que se acumulam na garganta

Estas elevações avermelhadas ou esbranquiçadas – nesse caso, contendo uma secreção que nosso corpo produz, o pus – aparecem em qualquer idade, mas é mais comum na adolescência.
“A denominação correta para espinhas é ‘acne’ que são tipos de lesões na pele”, explica Patrícia Martins, doutoranda em Biologia Celular do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG.

Segundo Patrícia, “essas lesões podem ser causadas por entupimento dos poros da nossa pele, ou seja, os pequenos buraquinhos por onde saem o suor e os pelos”. E o que causa esse entupimento? “é o sebo, uma substância produzida pelas glândulas sebáceas presentes abaixo da nossa pele.
O sebo age como um lubrificante natural da pele, evitando que os pelos fiquem quebradiços e diminuindo a perda de água da pele quando o ar está muito seco, semelhante à camada de cera presentes nas folhas das árvores”.
Quando este sebo fica preso na base do poro, pode causar cravos e espinhas e pode ser um lugar perfeito para que bactérias se multipliquem.
“Por isso devemos manter a pele sempre limpa e não espremer cravos e espinhas, o que pode gerar cicatrizes”, conta Patrícia.

E por que elas surgem com mais frequência na adolescência? Segundo a cientista, isso tem a ver com a puberdade. “É nesta fase que o nosso corpo esta mudando, estamos crescendo e várias substâncias chamadas hormônios sexuais são responsáveis por essas mudanças.
Esses hormônios estimulam as glândulas sebáceas, que na adolescência, aumentam o seu tamanho e passam a produzir mais sebo.
Após essa fase de ajuste do corpo, a glândulas sebáceas voltam ao seu estado menos ativado e a freqüência de espinhas na maioria das pessoas diminui”, ela diz.

Drª Patrícia também deixa um recado: “meninos e meninas, fiquem espertos. O excesso no consumo de doces e alimentos ricos em gordura também pode levar ao aparecimento de espinhas. Por outro lado, uma alimentação rica em verduras e frutas contém vitaminas e sais minerais que atuam protegendo a nossa pele contra o aparecimento da acne.
Então fica a dica, para ter uma pele bonita e livre das espinhas tenha uma alimentação saudável!”.

Quais são as causas?

Na adolescência, os grandes culpados da acne são a variação hormonal e o fator genético.  A hereditariedade é fator decisivo para o aparecimento da acne. Pessoas que têm pai e mãe que tiveram acne, têm maior tendência a sofrer com o problema.
A acne aparece preferencialmente no rosto, peito e nas costas, regiões de maior aporte das glândulas sebáceas.
Na idade adulta, os vilões são (muito!) variados e as espinhas podem aparecer por estresse, uso errado de cosméticos, problemas hormonais, pílula anticoncepcional e, claro, uma alimentação ruim também desencadeia (ou piora) o problema.

O estresse: quando você passa por períodos excessivos de nervoso, seu organismo tende a não funcionar tão bem e pode existir uma sobrecarga nas glândulas sebáceas. Assim, os poros da pele entopem e a consequência você já conhece: a acne faz uma visita nada bem-vinda.

Disfunção hormonal: causada principalmente em mulheres com síndrome do ovário policístico. Os ovários são responsáveis por nivelar as taxas de hormônio masculino e feminino no corpo da mulher e, quando estão desregulados, a testosterona fica em alta, causando excesso de oleosidade na pele. E aí a pele se enche de acne mesmo.
Sem contar que esse tipo de problema pode fazer com que nasçam pelos mais grossos na mulher, inclusive no rosto.

A alimentação: se você basear seu cardápio em frituras, carnes gordurosas e excesso de açúcar, sua pele sente, ficando também mais sebosa. Por isso, tem que comer com equilíbrio, abusar das frutas, carnes magras, alimentos ricos em soja (rica em isoflavona, que ajuda a regular as glândulas sebáceas) e, claro, tomar muita água.
Frutas ricas em vitamina A (manga, mamão) e C (as cítricas) são excelentes para uma pele bonita.

Medicamentos: os corticoides e os anabolizantes são os maiores vilões no caso da acne.

Uso de cosméticos impróprios: tem muita mulher que ama comprar cremes e maquiagens, esquecendo que esses produtos não foram pensados para a mulher brasileira, sem contar que costumam ser bem mais caros. Eles são oleosos demais, incompatíveis com quem vive num país tropical.
O ideal é usar produtos livres de óleo e sempre prescritos pelo seu dermatologista.

O excesso de calor: no verão, como usamos mais protetor solar, pode haver um acúmulo de impurezas na pele. Se você não lavar com um sabonete correto, as espinhas acabam surgindo mesmo. Outro conselho: se tem acne, evite o sol o quanto puder!

Como tratar a acne adulta?

O primeiro passo é jamais cutucar ou espremer as espinhas, assim como ensinamos os adolescentes. Esse hábito horrível faz com que os micro-organismos presentes nas unhas causam um processo inflamatório, piorando o estado da pele.

O segundo passo é marcar logo com seu médico dermatologista. Ele vai conversar com você, perguntar sobre seus hábitos, examinar sua pele e provavelmente pedir alguns exames (ainda mais quando a questão aponta para problemas hormonais). Em seguida, ele vai lhe propor o tratamento mais indicado.

Agora, quando a questão é mesmo hormonal, seu dermatologista vai lhe pedir pra consultar um ginecologista pra que seja feito um tratamento. Caso contrário, as espinhas vão persistir.

*Clique na imagem abaixo para aumentar o tamanho do texto, caso seja necessário.

Os cuidados mais indicados

Existem vários tratamentos e só seu dermato pode lhe passar o mais indicado, nunca faça nada por conta própria. Peelings superficiais, luz pulsada, medicamentos de uso tópico à base de ácido retinoico, antibióticos, isotretinoína costumam ser uma ótima opção de tratamento para combater a acne na adolescência e na fase adulta.
Entre os cuidados destacam-se:

  • Lave o rosto com sabonete indicado pelo seu médico duas vezes ao dia, não mais que isso.
    Lavar demais seu rosto pode ser prejudicial para sua pele.
  • Escolha um sabonete que reduza a oleosidade sem ressecar demais a pele: quanto mais o sabonete resseca a pele, mais gordura a pele produz para compensar a eliminação desta pelo sabonete.
  • Jamais durma de maquiagem, isso entope os poros.
  • Evite passar as mãos no rosto sem lavá-las antes, assim você evita levar micro-organismos para o rosto, provocando uma sujeira desnecessária.
  • Nunca use cremes de amigas ou conhecidos só porque lhe disseram ser bom.
    Lembre-se de que cada pele tem uma característica.
  • E, claro, ao primeiro sinal de que algo anda errado com sua pele, marque dermatologista.
    Todo tratamento que começa cedo tem um efeito melhor e mais rápido.
  • Use um bom protetor solar em gel: Evita que a pele fique mais inflamada e previne as manchas causadas pelo sol.
  • Evite qualquer produto que tenha óleo em sua composição.
  • Nunca se esqueça de remover a maquiagem.
    Os produtos entopem os poros e podem gerar espinhas.
  • Tome cuidado com a limpeza de pele.
    Apesar de ajudar muito, a limpeza não deve ser feita quando as espinhas estiverem no auge da inflamação, quando cutucá-las pode piorar ainda mais a situação.
  • Aumente o consumo de verduras de cor verde-escura.
    Brócolis, couve, rúcula, espinafre e outras são ideais, pois são ricas em vitamina A, que reduz a produção de sebo.
  • Abuse da água, sucos e chás: A hidratação é fundamental para o equilíbrio do metabolismo, além de diminuir processos inflamatórios como os da acne.
  • Evite comidas gordurosas: Esse tipo de alimento ajuda a inflamar mais a pele e acaba permitindo o aparecimento da acne intensa.
  • Use produtos secativos quando alguma acne aparecer, pois o secativo pode ajudar a diminuir a inflamação e a dor da acne
  • Evite espremer uma espinha, a qualquer custo.
    Saia da frente do espelho, respire fundo, mas tire a mão daí.
  • Tire o cabelo da cara.
    Quando você usa franja ou vive com o cabelo caindo no rosto, a oleosidade do couro cabeludo se transfere para a pele, que fica mais sujeita às espinhas.
  • Uma espinha horrorosa apareceu bem no dia que você ia sair para a festa: para disfarçá-la, faça uma compressa envolvendo o gelo num pano limpo.
    Isso alivia a vermelhidão.
    Depois, é só dar uma disfarçada com um corretivo.
  • Compressas de camomila também são ótimas para acne.
    Elas têm efeito anti-inflamatório e melhoram o aspecto das espinhas.
Veja também:   Doença silenciosa: aplicada no olho, injeção reverte cegueira causada por diabetes

Dúvidas

Alimentação, hormônios ou idade. Quem tem acne, já ouviu todo o tipo de conselho na hora combatê-la. Por isso, o jornal Daily Mail reuniu alguns especialistas de pele para tirar as dúvidas na hora de tratar ou prevenir cravos e espinhas. ”Semelhante a qualquer condição médica, quanto mais cedo a acne for tratada, mais fácil para curá-la.
Há muitos tratamentos eficazes”, garante o dermatologista Tapan Patel, da Clínica de Acne do Reino Unido.
Confira a seguir.

Chocolate não é vilão: Ao contrário do que muita gente pensa, a alimentação não influencia nas doenças de pele. A acne ocorre principalmente no rosto, pescoço, peito e costas e é causada quando os hormônios masculinos presentes em homens e mulheres produzem excesso de óleos nas glancias sebáceas da pele.
”A ideia de que o açúcar, chocolate ou alimentos gordurosos podem causar manchas é um absurdo”, diz o consultor dermatologista Tim Clayton em Salford Royal Hospital, em Manchester.

Combata o estresse: Segundo especialistas, desequilíbrios hormonais pioram a acne. “Quando você está estressado, as glândulas supra-renais segregam mais hormônios masculinos que estimulam a produção de oleosidade” afirma Clayton. Além disso, o estresse diminui o poder de cicatrização do corpo em até 40%.

O poder dos anticoncepcionais: Pílulas anticoncepcionais podem ser benéficas para a pele de algumas mulheres e, em boa parte dos casos, são tão eficientes quando antibióticos no combate a acne.
“Elas impedem a testosterona de estimular as glândulas sebáceas”, explica o dermatologista Tamara, da Fundação Britânica de pele.

Consuma Vitamina A: Se você sofre com acne, vale a pena conversar com o seu médico sobre os medicamentos que contém vitamina A, já que eles diminuem o excesso de células mortas da pele.
”A vitamina A acelera as taxas de rotatividade de células, esfolia a pele e diminui o acúmulo de células mortas dentro do folículo, reduzindo a formação de acne”, diz Patel.

Cuidado químico: De acordo com consultor dermatologista Edward Seaton, do Hospital Royal Free de Londres, produtos contentos peróxido de benzoíla podem ser altamente eficazes para acne leve a moderada. “Ela introduz oxigênio no poro que destrói acnes, mas precisa ser usada somente em doses baixas.
Dosagens mais elevadas podem ser irritantes para a pele”, declara o médico.

Tratamentos a laser: Em casos de acne leve e moderada, tratamentos a lazer que diminuem as manchas com um pequeno impulso elétrico, também podem ajudar. “As bactérias da acne produzem substâncias químicas chamadas porfirinas. Quando o laser é aplicado em um determinado poro, as bactérias são destruídas”, diz Patel.

Antibióticos ainda funcionam: Converse com seu médico. Em alguns casos, a solução ainda está nos antibióticos. “A tetraciclina, eritromicina, limeciclina e trimetoprim, em forma de comprimido, ainda tem um papel a desempenhar”, diz o dermatologista Seaton.
Já antibióticos como a clindamicina estão disponíveis em loção ou gel.

Casos graves: Em casos mais graves, comprimidos com isotretinoína retinoide são eficazes no combate a acne. No entanto, esses medicamentos podem causar efeitos colaterais. ”Ele acelera a renovação celular da pele, mas pode deixar os lábios muito secos, dores de cabeça ou articulações doloridas.
Acreditamos que também podem afetar substâncias químicas no cérebro.
A depressão é uma complicação rara.
Mas 90% dos pacientes se sentem muito melhor consigo mesmos, quando sua pele melhora”, conclui Patel.

Os principais tratamentos para acne que se mostram efetivos:

Esfoliação da pele: A esfoliação da pele pode ser feita tanto de maneira mecânica quanto através de substâncias químicas como o peróxido de benzoíla e ácido salicílico. Elas atuam prevenindo o acúmulo de células mortas e também ajudam na desobstrução de poros afetados.
Dentre os tratamentos tópicos, o peróxido de benzoíla e o ácido salicílico são as medicações mais eficientes.
No entanto, o uso deles não pode ser exagerado, correndo o risco de trazer mais oleosidade ainda à pele.
A esfoliação também pode prejudicar o tratamento, aumentando as espinhas em até 20%.

Antibióticos tópicos e orais: A aplicação de antibióticos na região afetada, utilizando-se cremes e loções a base de eritromicina e ácido fusídico pode ser bastante eficaz. Eles atuam matando as bactérias – notadamente, P. acnes – que se alojam no orifício do folículo piloso.
Há também antibióticos orais, que são utilizados em casos mais graves e têm efeito melhor.
O uso de antibióticos tem se tornado menos eficiente na medida em que bactérias P.
acnes resistentes têm se tornado mais comuns.
A acne geralmente irá reaparecer em alguns dias após o fim do tratamento tópico e algumas semanas após o oral.

Tratamento hormonal: Nas mulheres, é possível a aplicação de tratamento hormonal, que consiste na ingestão de contraceptivos orais (hormônios femininos) que neutralizam os efeitos de excessos de hormônios masculinos. Homem também tem controlador hormonal. Existe preconceito relativamente a este fato.
Tudo o que sendo dito é comprovado cientificamente e tanto homens quanto mulheres sempre devem procurar um médico especializado.
Para cada tipo de pele existe um determinado tratamento.

Retinoides tópicos: Os retinoides tópicos são mais eficientes que as esfoliações e os antibióticos sozinhos. Os retinoides agem na normalização do ciclo de vida das células do folículo, dissolvendo e prevenindo a formação de comedões.
O ácido retinoico, principalmente quando combinado com a eritromicina, costuma ser bastante eficaz para o tratamento da acne.
O adapaleno, que tem menores efeitos colaterais, costuma trazer melhores resultados.
Estão relacionados à vitamina A (retinoide significa semelhante ao retinol – que é justamente o nome químico da vitamina A).

Retinoides orais: Consiste na ingestão diária de retinoides como a isotretinoína durante um período de 6 a 8 meses. A isotretinoína tem se mostrado muito eficiente; no entanto, pode causar efeitos colaterais perigosos. Por isto, só deve ser utilizada no tratamento da acne severa ou muito resistente.
O tratamento requer um acompanhamento médico bem próximo de um dermatologista devido justamente aos efeitos colaterais (os quais podem ser graves).
Os efeitos colaterais mais comuns são a desidratação da pele e sangramentos nasais (consequentes da desidratação da mucosa nasal).
Há relatos de que a substância possa prejudicar o fígado dos pacientes.
Por esse motivo, é fundamental que os pacientes façam exames de sangue antes e durante o tratamento.
Existem alguns relatos que comprovam que a droga pode gerar depressão.
A droga também pode causar graves defeitos em fetos se as mulheres se submeterem ao tratamento antes ou durante a gravidez como defeitos na face, nas orelhas, no coração e no sistema nervoso do feto.
Por essa razão o tratamento das mulheres é acompanhado por métodos contraceptivos ou abstinência sexual.

Veja também:   Conheça os Alimentos que Aumentam a Celulite

Agentes básicos: Algumas soluções inorgânicas de caráter básico, como o bicarbonato de sódio (NaHCO3) têm se mostrado eficazes no controle da oleosidade da pele em aplicações tópicas seguidas.
Como o sebo nada mais é que um conjunto de ácidos gordos, estas substâncias aplicadas agem na neutralização destes ácidos, formando sais orgânicos que não servem de alimento para as bactérias e não têm aspecto oleoso.

Plantas Medicinais: Algumas plantas medicinais têm mostrado eficácia contra acne. Dentre ela, a bardana, o óleo de prímula, o óleo de argânia e o agrião podem ser usados no combate a cravos e espinhas e normalmente são administrados como cápsulas ou cremes.
A tanchagem ou transagem (Plantago ssp, Plantago major) pode ser usada para fazer compressas e aplicada sobre as lesões.
A vulnerária, ou trevo-da-areia, é aplicada para amenizar as cicatrizes deixadas pela acne.
Outros usos da vulnerária são para lavar feridas e úlceras de difícil cicatrização.
Outra planta em estudo que tem se mostrado eficaz é o chá verde, aplicado topicamente.
Recentes estudos comprovam que este benefício da natureza pode ser um ótimo combatente na luta contra as temidas espinhas.
Entre os vários benefícios do chá verde, essa foi mais uma descoberta, além do poder de emagrecimento que ele pode proporcionar.
Uma das vantagens de utilizar o chá verde contra a acne é que ele não deixa a pele ressecada.
O chá verde neutraliza a ação da bactéria responsável pela acne, justamente por ser rico em polifenóis e em antioxidantes.
O chá verde pode ser encontrado em diferentes versões: a granel, sachês (10 envelopes e 30 envelopes), instantâneo, cápsulas e blister.

Para combater a acne a receita é simples: Coloque quatro xícaras de água quente e três sachês de chá verde. Deixe em infusão por 20 minutos. Depois, passe na região em que há bastante concentração de acnes.

Clareamento: A acne costuma deixar a pele com manchas vermelhas, uma boa opção para acelerar o clareamento dessas manchas seria usando técnicas como luz intensa pulsátil ou produtos como ácido retinóico e hidroquinona combinados ou ácido glicólico e ácido kójico combinados, essa combinação tem menores efeitos colaterais.
Cicatrizes: A acne pode levar o rosto a ter cicatrizes, principalmente quando as espinhas são espremidas, pode-se tratar essas cicatrizes com várias técnicas como dermoabrasão (lixamento cirúrgico), preenchimento cutâneo, luz intensa pulsátil e peeling médio ou profundo com laser ou com ácidos como o retinoico, tricloroacético e fenol, dependendo do grau da cicatriz.

Tratamento Cosmético

Os produtos cosméticos podem tratar as acnes do 1º e 2º graus, pois os quadros mais graves, 3º e 4º graus devem ser submetidos aos cuidados médicos.

A etapa mais importante do cuidado cosmético da acne é a limpeza, para remover o excesso de oleosidade, as células hiperqueratinizadas e evitar a proliferação microbiana. Procure estes ingredientes na formulação do seu sabonete líquido:

  • Agentes bactericidas, os responsáveis pelo combate aos micro-organismos causadores das inflamações.
  • Triclosan, derivados da raiz de alcaçuz (Glicirrinato de Amônio; Ácido 18 B-Glicirrético) e Ácido Salicílico.

.

A limpeza deve ser feita duas vezes ao dia, pela manhã e à noite, lavando a área afetada com sabonete líquido bactericida, que desobstrui os poros e combate as bactérias.

*clique na imagem abaixo para aumentar o tamanho do texto, caso seja necessário.

Mito ou verdade?

Considerada uma doença pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a acne acomete mais de 18 milhões de pessoas entre 13 e 18 anos, quase 80% da população jovem brasileira. Autoestima baixa e extrema timidez são alguns dos sintomas psicológicos causados pelos cravos e espinhas.
Mas apesar de ser um mal bastante conhecido, há diversos mitos e equívocos envolvendo o tema.
A dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) Letícia Secco esclarece o que é verdade e o que é mentira quando o assunto é a acne.

 – Ansiedade e estresse pioram a acne.

 – Verdadeiro –  A ansiedade e principalmente o estresse podem sim agravar a inflamação e as espinhas.

 – Chocolate provoca espinhas.

 – Falso. Não há estudos científicos que comprovem que qualquer alimento específico, inclusive o chocolate tenha relação com a acne.

 – Existem medicamentos que desencadeiam o processo acneico.

 – Verdadeiro. Há medicamentos que podem induzir quadros de acne, conhecidos como erupções acneiformes. Entre eles é possível citar os corticoides, vitaminas do complexo B, lítio, isoniazida, entre outros.

 – A acne só atinge os adolescentes e depois desaparece na fase adulta.

 – Falso. Normalmente a acne aparece durante a adolescência, já que é nessa época da vida que os hormônios estão em profunda ebulição. Mas, isso não significa que adultos não tenham acne. O quadro pode durar da adolescência até a fase adulta ou aparecer mais tarde.
É necessário tratar a doença logo no início, para que a acne não provoque cicatrizes e se transforme em um problema crônico.
Há casos ainda de espinhas em bebês e crianças, constituindo a acne infantil.

 – Intestino preso e acne têm relação.

 – Falso. A função intestinal irregular não tem relação com a acne.

 – O clima interfere na qualidade da pele.

 – Verdadeiro. O suor no verão, associado ao uso de filtros solares gordurosos, podem piorar a oleosidade da pele.

 – Cosméticos em excesso podem prejudicar a pele e causar espinhas.

 – Verdadeiro. Para manter uma pele saudável é fundamental mantê-la limpa e hidratada. Cosméticos muito gordurosos ou do tipo “pancake” podem piorar o aspecto da acne, principalmente em peles do tipo oleosa. Produtos com rótulos “oil free” ou “não comedogênicos” são os mais indicados neste caso.

 – O sol ajuda no combate à acne.

 – Falso. Pode ocorrer uma melhora inicial nas lesões inflamatórias, mas não há evidência científica direta de que o sol melhore as espinhas.

 – A poluição das cidades aumenta a probabilidade se desenvolver acne.

 – Falso. A coloração preta dos comedões abertos, ou pontos pretos, está relacionada à oxidação da gordura e não à presença de sujeira na pele ou nos poros.

 – Posso resolver meus problemas de acne apenas com limpeza da pele e pomadinhas.

 – Falso. Existem diversas formas de combater as espinhas, dependendo da gravidade do problema e de quão avançada ela está. O tratamento pode ser feito com medicamentos tópicos à base de peróxido de benzoíla, ácido salicílico, antibióticos ou ácido retinoico.
O tratamento oral é feito com antibióticos ou com retinoide.
O retinoide oral para acne (substância derivada da vitamina A, conhecida como isotretinoína), reduz o tamanho das glândulas sebáceas e modifica a composição das gorduras contidas no sebo, além de reduzir a inflamação.
O dermatologista é quem poderá analisar cada caso e indicar o melhor tratamento.