Síndrome metabólica, uma epidemia global e silenciosa

A síndrome metabólica é considerada hoje uma epidemia crescente e global, que causa grande preocupações aos profissionais da área de saúde. Deve ser destacada a sua importância do ponto de vista epidemiológico, pois é responsável pelo aumento da mortalidade cardiovascular.
Podemos definir a síndrome metabólica como um transtorno complexo representado por um conjunto de fatores de risco cardiovascular, geralmente causados pela deposição central de gorduras (gordura abdominal) e pela resistência à insulina.
Segundo dados, o número de pessoas portadoras dessa síndrome no mundo é crescente.
O sedentarismo e a obesidade são apontados pelos especialistas como os principais agentes causadores da síndrome metabólica.

Todos sabemos que a obesidade está ligada a uma série de complicações. Pessoas obesas tem maior tendência a apresentar pressão arterial elevada, diabetes tipo II e alterações do perfil lipídico (colesterol, triglicérides, etc.
Assim como há obesos que não desenvolvem essas complicações, há indivíduos um pouco acima do peso ideal que acumulam gordura no abdômen, tem níveis de triglicérides e colesterol alterados, pressão arterial ligeiramente elevada e, embora não cheguem a ser diabéticos, nos testes de glicemia em jejum, mostram que o nível de açúcar no sangue está um pouco acima do normal.
Neste post, abordaremos as causas, medidas preventivas e de reversão deste quadro, antes que ele se transforme em algo maior, pois o objetivo do tratamento é impedir que esse distúrbio metabólico cause maiores complicações, como por exemplo o diabetes e as doenças cardiovasculares.

Conhecendo um pouco da história da síndrome metabólica

A síndrome metabólica, ou síndrome plurimetabólica, como hoje é denominada, foi descoberta a poco tempo, pelo pesquisador americano Gerald Reaven, na década de 80, mais precisamente em 1988.
A princípio, era chamada de síndrome X, e era caracterizada por alguns fatores presentes no indivíduo, tais como: hipertensão, elevação da glicemia em jejum, alterações dos níveis de lipídios e acúmulo de gordura abdominal.
Indivíduos portadores dessa doença estavam e ainda estão mais propensos a desenvolverem doenças cardiovasculares, derrames cerebrais, doenças vasculares periféricas e diabetes tipo II.

Entendendo a síndrome metabólica

Como já foi dito, a SM (síndrome metabólica) é um conjunto de alterações metabólicas, incluindo alterações dos perfis lipídicos, glicêmicos e alterações na pressão arterial. No entanto, ainda há algumas discordâncias sobre o que realmente é o indicador da Síndrome metabólica.
No ano de 2006, houve a necessidade de serem criados vários critérios para diagnosticar com exatidão essa doença, pois outros motivos podem alterar estes perfis, tais como o uso contínuo de medicamentos, doenças associadas e procedimentos de coleta.
Diante disso, foram elaborados alguns critérios para diagnosticar precisamente a doença.
esses critérios foram elaborados pelas entidades American Heart Association e o National Heart, Lung and Blood Institute, e neles ficou estabelecido que o diagnóstico para síndrome metabólica só seria aceito se o doente apresentasse o conjunto de três ou mais dos seguintes critérios:

  • Perímetro abdominal aumentado, ou seja, para homem, igual ou superior a 102 cm, e para mulher, igual ou superior a 88 cm.
  • Colesterol HDL (“bom”) diminuído: homen, inferior ou igual a 40 mg/dl e mulher, inferior ou igual a 50 mg/dl.
  • Pressão arterial elevada: igual ou superior a 130/85 mmHg.
  • Elevação da glicose em jejum: igual ou superior a 100 mg/dl.

.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) preconiza como ponto de partida a avaliação da resistência à insulina ou do distúrbio do metabolismo da glicose.

Entendendo o que é o perfil lipídico

O perfil lipídico é o conjunto dos valores do colesterol total e suas frações e do triglicérides, que devem estar dentro dos limites estabelecidos segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia e Diretrizes Sobre as Dislipidemias.

O que são o colesterol LDL, HDL e VLDL? Qual a diferença entre eles?

Colesterol é um tipo de gordura que é produzido exclusivamente por animais, inclusive os humanos. o colesterol circula normalmente no sangue, sendo usado pelas células do corpo para construir as membranas celulares, para a fabricação de alguns hormônios e vitaminas e também como uma fonte de energia.

O LDL (lipoproteína de baixa densidade) também é chamado de “mau colesterol”, pois vários estudos de grande alcance mostraram que os n´veis aumentados de LDL estão fortemente associados com o risco de doenças cardiovasculares. Transportam o colesterol do fígado e do intestino para os tecidos periféricos.
O colesterol ligado às partículas de LDL pode ser medido por exames em laboratório, e é chamado de LDL-colesterol.

O HDL (lipoproteína de alta densidade) é conhecido como o “bom colesterol”, pois, ao contrário do LDL”, quanto maiores os níveis de HDL no sangue de uma pessoa, menores são suas chances de desenvolver doenças cardiovasculares.
Também transportam colesterol, mas no sentido inverso, mas no sentido inverso do LDL: retiram a gordura dos tecidos periféricos e dos vasos e a transportam para o fígado, onde serão metabolizadas.
O colesterol ligado as partículas de HDL pode ser dosado em laboratório, e é chamado HDL-colesterol.

O VLDL (lipoproteínas de muito baixa densidade) é transportador do colesterol e dos triglicérides. O aumento das VLDL (que pode ser constatado pelo aumento do triglicérides no sangue) também aumenta o risco de problemas cardíacos.

Triglicérides: o que são e qual a sua função no organismo?

Os triglicérides formam uma gordura composta por uma molécula de glicerol e três moléculas de ácido graxos. Os triglicérides são a principal forma de estocagem de energia dos animais, que os acumulam no tecido adiposo na forma de gordura.
Os triglicérides não só formam placas que entopem as artérias como são os principais causadores do aumento abdominal, pneuzinhos, culotes e afins.
Eles são o resultado da queima dos carboidratos de massas, doces e refrigerantes, ou seja, quando ingerimos muito carboidrato, os valores dos triglicérides tendem a se elevar, razão pela qual deve-se medir sua concentração no sangue após 12 horas de jejum.
Contagem de triglicerídeos muito alta, acima de 400-500, pode causar inflamação do pâncreas (pancreatite) fazendo-se necessária uma modificação brusca na dieta.
Altos níveis de triglicérides estão associados a uma maior incidência de doenças coronarianas, muito embora estes níveis costumem ser acompanhados de baixos níveis de HDL, sendo, portanto, difícil apontar o verdadeiro “vilão”: se os níveis altos de triglicerídeos ou se o HDL baixo.

Qual o tratamento para níveis elevados de colesterol e triglicerídeos?

O principal tratamento é uma dieta balanceada, acompanhada da prática contínua de exercícios físicos. isso inclui redução da ingestão de colesterol e gorduras saturadas e o aumento do consumo de fibras, pois essas podem reduzir em 10% a 15% os níveis sanguíneos de colesterol e em 15% a 20% os níveis de triglicérides.
A intervenção medicamentosa é indicada geralmente em casos nos quais os níveis elevados persistem com a dieta.

Intolerância à glicose e resistência à insulina

A insulina é um hormônio secretado pelo pâncreas, que tem uma única finalidade: facilitar a entrada da glicose nas células. A glicose é a única fonte de reserva energética do ser humano. A intolerância à glicose é um termo antigo.
Hoje se fala que o indivíduo é pré-diabético e que o mesmo irá manisfestar diabetes tipo II em um período de 10 a 15 anos, isso se não forem controlados os níveis lipídicos e glicêmicos.

O Diabetes Mellitus tipo II

Caracteriza-se pela falência pancreática para a produção do hormônio insulina, ou seja, o pâncreas produz insulina em quantidades normais no início da doença, mas essa insulina não consegue exercer seu efeito como deveria, o que faz com que o pâncreas acabe produzindo mais e mais insulina na tentativa de compensar esse defeito.
Com o passar do anos, o pâncreas acaba desgastado e deixa de ser capaz de compensar a resistência à insulina.
É quando surge o quadro de hiperglicemia contínua no jejum, ou seja, valores que oscilam entre 100 e 125 mg/dl, quando geralmente é diagnosticado o diabetes tipo II, intimamente relacionado ao excesso de peso, a hábitos alimentares inadequados e ao sedentarismo, fatores esses que aumentam a resistência à insulina.

Hipertensão arterial

Hipertensão é uma doença que acomete pessoas de todas as idades, homens e mulheres de todas as classes sociais e condições financeiras. Popularmente conhecida como “pressão alta”, está relacionada com a força que o sangue faz contra as paredes das artérias para conseguir circular por todo o corpo.
O estreitamento das artérias aumenta a necessidade de o coração bombear com mais força para impulsionar o sangue e recebê-lo de volta.
Como consequência, a hipertensão dilata o coração e danifica as artérias.

Os valores da pressão arterial oscilam durante o dia. Geralmente caem nos momentos de relaxamento e se elevam nos momentos de maior agitação do corpo, como em atividades físicas, estresse ou agitação.
Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão, são consideradas hipertensas as pessoas que, medindo a pressão arterial em repouso, apresentam valores iguais ou acima de 14 por 9 (140 mmHg x 90 mmHg).
A hipertensão também leva a comprometimentos vasculares, cerebrais e /ou cardíacos.

Porque o acúmulo de gordura na região abdominal é um fator que indica a síndrome metabólica?

As células do tecido adiposo que se estocam na região abdominal não são simplesmente depósitos de gordura. Nessa região, elas fabricam uma centena de substâncias que desequilibram o nosso organismo.
A gordura visceral, ou abdominal, torna-se mais prejudicial pela incapacidade, especificamente, dessas células de reter a gordura dentro delas, facilitando a migração dessas gorduras para órgãos importantes presentes na cavidade abdominal, como o pâncreas, os rins e o fígado.
E é no fígado que encontramos um grande problema, pois, ele é o órgão responsável por quebrar o glicogênio (glicose armazenada) e transformá-lo em glicose.
Esse processo normalmente acontece quando a pessoa passa por períodos de jejum prolongado, mas nesse caso, essa quebra ocorre por um distúrbio causado pela gordura que está armazenada no abdômen.
A gordura visceral, ou abdominal, produz uma série de compostos prejudiciais ao organismo.
Nesse cenário, o pâncreas (como secretor do hormônio insulina) tenta incansavelmente colocar toda essa produção de glicose para dentro das células.
Mas toda essa gordura armazenada na região abdominal libera também ácidos graxos.
que impedem a ação correta da insulina (resistência insulínica).
Assim, como esta não consegue cumprir sua missão corretamente, o açúcar sobra no sangue, levando o indivíduo a manifestar diabetes tipo II.
Soma-se a isso o fato de que as artérias ficam mais frágeis, o que facilita a ocorrência de infartos e derrames.

Veja também:   Autoexames Reveladores - Faça o seu Hoje Mesmo!

Obesidade e síndrome metabólica em crianças e adolescentes

A obesidade é uma doença crônica, que cresce a cada dia na população mundial.
A obesidade na infância geralmente leva o indivíduo a ser um adulto obeso e também leva a uma série de comodidades como dislipidemia, hipertensão arterial sistêmica, problemas psicossociais, alterações do metabolismo, problemas ortopédicos, apneia do sono, síndrome dos ovários policísticos e esteatose hepática (gordura no fígado).
Estudos em vários países, incluindo o Brasil, mostraram que é crescente o número de crianças e adolescentes obesos, isso devido ao ritmo de vida e à alimentação inadequados.
A televisão, o vídeo game, os computadores, além das diversas ofertas de alimentos industrializados ricos em gorduras e carboidratos são, na maioria dos casos, os responsáveis pelo quadro de obesidade nessa idade.

Se já é difícil para um adulto começar uma dieta radical, imagine para uma criança

O correto seria mantê-lo longe das guloseimas, mas como? O mais complicado é tentar fazê-los entender a necessidade de manter uma alimentação saudável à base de frutas, verduras, legumes, fibras, além de seguirem um plano de atividades físicas contínuas.
É claro que, quando diagnosticada a síndrome metabólica, os profissionais, pediatras, endócrinos e nutricionistas irão elaborar um esquema de dieta que se enquadre a cada indivíduo.
Porém, deve haver um empenho muito grande da família para incentivar e manter a dieta.

Dez atitudes que devemos adotar na educação alimentar da criança

– Toda criança sem limites vai abusar das calorias e das guloseimas. Devemos impor limites, porém, é importante reservar um dia por semana no qual podemos ser mais liberais.

– Evite os lanches extras. O ideal são seis refeições diárias. Impeça as beliscadas fora desses horários.

– Nunca fazer trocas ou oferecer recompensas, tipo: “Se comer todos os legumes, ganhará um sorvete”. Isso passa a ideia de que comer legumes não é bom e precisamos recompensá-los pelo esforço de comê-los.

– Ameaçar: “Se não comer a salada, não vai ganhar presente”- é um erro.Isso somente vai aumentar o ódio que a criança sente das saladas.

– Evite brincadeiras na hora de comer.

A maioria das crianças tem uma tendência a recusar o que não conhece e nunca provou. A ideia não é forçar, e sim, fazer com que a criança prove para saber se gosta ou não.

– Nunca substuir uma refeição quando a criança a rejeita. Por exemplo, substituir o almoço por uma mamadeira. Esse erro é muito comum, e se a criança conseguir uma vez, vai repetir essa estratégia sempre.

– Tornar a ida a uma lanchonete, um programão é um erro, pois passa  a impressão que a comida caseira é sem graça.

– Geralmente, as crianças tem dificuldade para comer alimentos diversificados, mas é muito importante que não seja oferecido somente aquilo que a criaça come com mais facilidade. Com certeza, esse alimento que a criança aceita, com o tempo, vai enjoá-la, e aí, vão faltar nutrientes, vão faltar fibras.

– Dar o exemplo. Não adianta mandar tomar sucos e somente beber refrigerantes.

Dica de páscoa

É muito difícil evitar que a criança (na dieta ou por ter diabetes)) queira comer chocolate em uma data na qual todas as criança ganham e comem chocolates. Nesse caso, sim, a família pode optar pela troca, ou seja, dê presentes ou combine um passeio para algum lugar de interesse da criança em vez de dar-lhe chocolates.

Dicas saudáveis para os dias de festa,, válidos para crianças e adultos

  • Faça um lanche saudável antes da festa.
    Assim, você evita comer tudo o que vê pela frente, mesmo sem estar com muita vontade.
  • Preste atenção no que está comendo ou bebendo, pois com a animação, geralmente perdemos a noção do que comemos.
    Assim, você terá mais controle do que come na festa e, principalmente, irá sentir satisfeita com o que come.
  • Tenha prazer com cada escolha, saboreie deliciosamente, e não fique pensando na próxima porção que será servida.
  • O mais importante é concentrar-se no que consumiu, e não ficar pensando no que não consumiu.
  • Não faça da comida a principal atração da festa.
    Divirta-se! Desvie o seu foco da comida conhecendo pessoas novas, dançando e conversando.
  • Sentiu que comeu muito na festa? Não inicie um jejum e nem fique se sentindo culpada.
    A alimentação saudável não se resume a uma refeição.
    Assim, só é necessário que faça escolhas mais saudáveis durante as refeições seguintes.

Técnicas para uma vida mais saudável

Estilo de vida

  • Mantenha um diário alimentar.
  • Maximize a percepção da alimentação evitando a alimentação automática.
  • Identifique os desencadeadores (“gatilhos”) da alimentação.
  • Não faça outras coisas enquanto come (ver TV ou ler jornal, por exemplo).
  • Alimente-se no local adequado, sentado – não coma em pé ou andando.
  • Pouse os talheres entre os bocados e mastigue devagar os alimentos.
  • Use uma lista durante as compras e não faça compras em jejum ou com fome.
  • Compre alimentos que requerem preparo.
  • Mantenha alimentos saudáveis à vista e alimentos problemáticos fora da visão.
  • Não coloque as travessas sobre a mesa durante a refeição.
  • Coma uma porção de cada vez e saia da mesa após alimentar-se.
  • Evite dar e trocar receitas de alimentos.
  • Prepare-se com antecedência para eventos especiais e situações que podem colocar seu emagrecimento em risco.

Exercícios

  • Inicie exercícios sempre de maneira gradual – não dispense a fase de alongamento, aquecimento, resfriamento.
  • Mantenha um diário de exercícios.
  • Aumente as caminhadas e procure sentir prazer em caminhar.
  • Aumente a atividade no seu dia a dia, utilizando escadas e dispensando o carro sempre que possível.
  • Faça você mesmo algumas atividades domésticas, como lavar o carro e jardinagem.
  • Leve o cachorro para passear.

Técnicas de atitude

  • Procure distinguir entre fome e desejo.
  • Resista ao desejo – não inclua guloseima em sua lista de compras.
  • Não tenha sonhos impossíveis em relação ao peso – estabeleça objetivos realistas.
  • Concentre-se em seu comportamento e não no peso (não se pese com frequência).
  • Viva as emoções em vez de descontá-las nos alimentos.
  • Diferencie a fome da compulsão ou “gula”.
  • Quando pegar um alimento para comer, pergunte se é fome ou não.

Técnicas de relaxamento

  • Um parceiro, companheiro ou amigo pode auxiliá-lo, incentivando atividades, acompanhando-o durante as compras e exercitando-se junto.
  • Em caso de dificuldade de controlar o impulso, o parceiro pode fazer as compras.
  • Converse com os familiares para que eles apoiem e auxiliem no seu tratamento, evitando insistir no preparo de alimentos inadequados e não ridicularizando suas atitudes e esforços.

Técnicas de nutrição

  • Procure conhecer o valor calórico dos alimentos: leia atentamente o rótulo das embalagens.
  • Procure alimentos com baixo teor de gordura ou sem gordura.
  • Lembre-se de que um alimento que não contém açúcar pode conter muita gordura.
    Novamente, preste atenção ao rótulo.
  • Procure evitar alimentos gordurosos, limitando-os a um máximo de 30% do valor calórico total diário.
  • Aumente os carboidratos completos (como arroz, feijão e massas) e evite os carboidratos simples (como açúcar e doces).
  • Torne a dieta pobre em calorias apetitosas (use ervas, temperos diferentes).
  • Procure aumentar a quantidade de fibras na dieta (coma frutas com bagaço e verduras).
  • Procure realizar uma atividade nos horários de maior vontade de beliscar: caminhar, ir ao shopping, sair com o cachorro, etc.
  • Quando der vontade de comer doces, procure os caseiros, sem creme de leite, leite condensado e chocolate.
  • Beba pelo menos dois litros de água por dia.
  • Sempre que der vontade comer algo, tome líquidos antes.

Dicas para compras em supermercados

  • Procure fazer as compras quando não estiver com fome.
    Ir ao supermercado com fome pode impulsionar a compra de alimentos calóricos e desnecessários.
  • Faça uma lista e siga-a corretamente.
    Se as compras forem bem planejadas, não haverá lugar para alimentos supérfluos.
  • Programe suas idas ao supermercados, faça compras mensais ou semanais.
  • Varie sua alimentação, modifique sua rotina incluindo novos alimentos saudáveis (baixo teor de gordura saturada, alto teor de fibras).
  • Leia os rótulos! Fique atenta aos produtos dietéticos porque nem sempre eles serão as melhores opções.
    Verifique e compare o valor calórico e o teor de gorduras.

Dicas para preparação das refeições

  • Não belisque enquanto cozinha! Se estiver com muita fome, programe um lanche entre as refeições principais.
    Um iogurte ou outro derivado de leite (magro) pode ser uma boa opção.
  • Para provar o tempero da comida, pegue em porções mínimas, como por exemplo, em colheres de chá.
  • Programe a quantidade de alimentos a ser preparado.
    Evite excessos.

Alimentos permitidos

  • Leite desnatado, ricota, queijo fresco;
  • Iogurte ou coalhada;
  • Carnes magras (coxão duro, patinho);
  • Peito de frango;
  • Filé de peixe;
  • Óleo de girassol ou canola;
  • Cereais (arroz, trigo, centeio, cevada), macarrão sem ovos e, de preferência, integrais;
  • Feijão, lentilha , grão-de-bico, ervilha seca;
  • Frutas, gelatina dietética;
  • Verduras e legumes;
  • Margarina “Becel”, “Milla” ou light;
  • Requeijão light;
  • Pães: quantidade moderada e de preferência, os integrais.
Veja também:   Grande esperança contra a endometriose!

Alimentos proibidos

  • Leite integral, tipo A ou B, queijos gordurosos (amarelos e requeijão);
  • Manteiga, margarina, creme de leite;
  • Crustáceos (camarão, lagosta, etc.
    ), frutos do mar;
  • Frios (presuntos, mortadela, etc.
    );
  • Miúdos (fígado, coração, rim).
  • Embutidos (salsicha, linguiça);
  • Açúcar, chocolate, coco;
  • Óleo de amendoim;
  • Bacon, toucinho, banha;
  • Biscoitos amanteigados, cremosos e recheados;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Frituras, gratinados e preparações *sauté (*Sauté: Esse termo vem de uma palavra francesa que significa ‘saltar’.
    Em culinária, sauté é pôr a comida em panela muito quente, com um pouco de manteiga ou óleo, e sacudi-la durante o processo de cozimento);
  • Torta, pastéis, pizzas, doces;
  • Maionese , chantilly;
  • Gema de ovo;
  • Molhos prontos, caldo de carne.

Recomendações úteis

  • Utilize adoçante artificial em substituição ao açúcar;
  • Aumente a ingestão de verduras cruas, legumes e frutas com bagaço, grãos integrais, farelo e aveia;
  • Beba de 2 a 3 litros de água por dia.

A importância da introdução de fibras na alimentação diária

Fibras são componentes de alguns vegetais que não são digeridos pelo sistema digestivo humano. Portanto, não fornece calorias. Desempenham um papel importante no processo digestivo, uma vez que ajudam a mover o alimento ao longo do tubo digestivo, dão volume ao bolo fecal e o ajudam a atravessar o intestino.
Além disso, pessoas que adotam uma dieta rica em fibras tem menor risco de desenvolver obesidade, hipertensão arterial, doenças cardíacas e derrames.
as fibras são alimentos de grande importância na dieta de qualquer indivíduo, pois, retardam a absorção dos açúcares, ajudando no controle da glicemia, reduzem a absorção de colesterol, diminuindo seu nível no sangue, promovem perda de peso, pois dão volume aos alimentos e permitem uma saciedade mais precoce, e portanto, menor ingestão de calorias.

A quantidade de ingestão de fibras recomendável para adultos é de 25 a 35 gramas por dia. Já para crianças acima de dois anos, segundo a Associação Dietética Americana e da OMS (Organização Mundial de Saúde), a recomendação é um consumo diário de fibras acrescentando-se de 5 a 10 gramas à sua idade.
Por exemplo, crianças com 10 anos de idade devem consumir diariamente de 15 a 20 gramas de fibras/dia.
Para menores de dois anos, não há valores recomendados.
As fibras são divididas em dois grupos: as solúveis e as insolúveis.

Fibras solúveis

Esse tipo de fibra se dissolve na água, formando um material parecido com gel. Esse gel absorve gorduras e açúcares, dificultando sua absorção, desse modo ajudando a controlar os níveis de glicose e de colesterol por reduzir sua absorção no intestino.
São encontradas em quantidades generosas em aveias, ervilhas, feijões, maçãs, frutas cítricas, cenouras e cevada.
A quantidade de cada tipo de fibra varia entre os diferentes vegetais.
O melhor é comer uma quantidade variada de diferentes alimentos ricos dos diferentes tipos de fibras.

Fibras insolúveis

Esse tipo de fibra aumenta o bolo fecal. Ao fazer isso, aumenta o movimento do sistema digestivo e aumenta o tamanho do próprio bolo fecal (das fezes), sendo portanto benéfico para as pessoas que lutam contra a constipação. Farinha de trigo integral, farelo de trigo, nozes e muitos vegetais são boas fontes desse tipo de fibras.
 A melhor maneira de aumentar a ingestão de fibras é aumentando o consumo dos seguintes alimentos, ricos em fibras:

  • Frutas e vegetais frescos;
  • Leguminosas (feijão, ervilhas);
  • Pão, cereais e grãos integrais;
  • Arroz integral (escuro);
  • Produtos com farelo (aveia, etc.

Dicas importantes

É importante citarmos o fato de que, quando falamos em ingerir frutas, nos referimos à fruta inteira. Quando retiramos apenas o suco da fruta, deixamos de ingerir as fibras, que irão auxiliar na digestão, e acabamos ingerindo somente o açúcar presente naturalmente na fruta.
Então fica mais uma dica: Beba muita água, mas as frutas, coma-as “in natura”, por inteiro.

Até aqui, já deu para perceber que a alimentação é um fator fundamental para evitar que o indivíduo venha desenvolver um quadro de síndrome metabólica. Diante disso, selecionamos alguns preparados caseiros de hortaliças, ervas, etc. Os preparados devem ser utilizados apenas como auxiliares no tratamento.
Devemos seguir sempre as orientações do profissional que nos acompanha.
Lembrando sempre que devemos mudar os hábitos alimentares, ingerir fibras diariamente, beber dois litros de água ao dia, diminuir a ingestão excessiva de sal e açúcar, e isso serve para qualquer indivíduo.
Além disso, precisamos ter em mente que somente a dieta não é o suficiente.
O hábito de praticar atividades físicas é outro fator importantíssimo, tudo isso, se possível, antes que se manifestem as alterações metabólicas.

Atividade física X síndrome metabólica

A atividade física representa um fator muito importante para indivíduos portadores de síndrome metabólica. Estudos tem demonstrado que o acúmulo de gordura abdominal e a diminuição de massa muscular estão altamente correlacionados com o desenvolvimento da resistência à insulina.
O treinamento físico resulta em perda de peso, preferencialmente em regiões centrais do corpo, e estimula o desenvolvimento muscular.
Tanto exercícios aeróbicos como  resistidos (musculação) se mostram indicados para esses indivíduos.

Porém, deve-se ter cautela: a atividade física deve ser individualizada e assistida, tendo em vista que cada organismo responde de maneira diferente aos estímulos.
Os especialistas indicam que a prática deve ser contínua e gradual, iniciando-se com 30 minutos ao dia (150 minutos semanais), de intensidade leve a moderada, podendo chegar a 300 minutos semanais de atividade moderada, de acordo com o quadro de cada indivíduo.
O importante é que, mesmo havendo dificuldade de aumentar a intensidade das atividades, elas se mantenham contínuas, ou seja, 150 minutos semanais de atividade talvez não auxiliam na redução do peso, mas haverá benefícios à saúde.

Receitas caseiras

Receitas caseiras de chás e sucos para regularizar o metabolismo dos lipídios, da glicose, da hipertensão e, de quebra, que combatem a obesidade. Os tratamentos naturais não dispensam os medicamentos, a dieta e a atividade física. Devem ser utilizados somente como auxiliares.

Preparados caseiros para hipertensão arterial

Água e alho

Amasse 3 dentes de alho e coloque-os de molho em 400 ml de água durante 6 horas. Coe e tome 1 xícara a cada 3 horas.

Tome 3 cápsulas de óleo de alho ao dia, nas principais refeições.

__________________________________________________________

Água de berinjela

Corte a berinjela em pedaços pequenos e deixe-o de molho durante 4 horas. Tome 5 xícaras ao dia.

__________________________________________________________

Suco de cebola diluído na água

Tome 3 xícaras ao dia.

__________________________________________________________

Suco puro de pepino

Tome 250 ml 2 vezes ao dia.

__________________________________________________________

Suco de limão

Suco diluído em água (1 limão para 200 ml de água). Tome de 3 a 5 vezes ao dia. Não adoce.

__________________________________________________________

Chá de cabelo-de-milho, Chapéu de couro, Cavalinha e quebra-pedra.

30 g para 1 litro de água. Tome 4 xícaras por dia.

__________________________________________________________

Chá combinado de cidreira e maracujá

30 g para 1 litro de água. Tome 3 xícaras ao dia.

__________________________________________________________

Chá de sete-sangrias (usando toda a planta)

30 g para 1 litro de água. Tome 4 xícaras ao dia

__________________________________________________________

Preparados caseiros para colesterol e triglicérides altos

Alcachofra

Cozinhe 2 alcachofras e tome o caldo do cozimento. Inclua alcachofras na alimentação na forma de salada.

__________________________________________________________

Beringela

Suco diluído em água e limão. Tome 250 ml de manhã, em jejum. Inclua a berinjela na alimentação, crua ou cozida, em saladas.

__________________________________________________________

Cebola

Suco diluído em água. Tome 1 xícara, 2 vezes ao dia. Inclua cebola na alimentação em saladas crua, temperadas com limão, alho e azeite de oliva.

__________________________________________________________

Cenoura

Suco puro. Tome 250 ml 30 minutos antes das refeições.

__________________________________________________________

Jiló

Suco diluído em água e limão. Tome 250 ml de manhã, em jejum.

__________________________________________________________

Carqueja

Chá das folhas (20 g para 1 litro de água). Tome 4 xícaras ao dia.

__________________________________________________________

Erva doce (funcho)

Chá das folhas (20 g para 1 litro de água). Tome 4 xícaras ao dia, sem açúcar.

__________________________________________________________

Jurubeba

Chá dos frutos (30 g para 1 litro de água).Tome 4 xícaras ao dia.

__________________________________________________________

Preparados caseiros para manutenção do nível glicêmico

Alho

Amasse 3 dentes de alho e deixe de molho durante 5 horas. Diariamente, tome 4 xícaras de água de alho.

__________________________________________________________

Berinjela

Suco combinado com limão e água. Tome 250 ml 3 vezes ao dia.

__________________________________________________________

Cebola

Suco diluído em água. Tome 3 xícaras ao dia.

__________________________________________________________

Carqueja

Chá das folhas (10 g para 1 litro de água). Tome 6 xícaras ao dia.

__________________________________________________________

Pata-de-vaca

Chá das folhas (20 g para 1 litro de água). Tome 4 vezes ao dia.

__________________________________________________________

Quebra-pedra

Chá das folhas e raízes (20 g para 1 litro de água). Tome 4 xícaras ao dia

__________________________________________________________

Remedinhos caseiros que ajudam a prevenir e só fazem bem. Bom para:

Pressão alta

Suco de beterraba, cenoura e laranja

Ingredientes

  • 1 copo (200 ml) de água filtrada
  • 1/2 beterraba crua
  • 1² cenoura
  • 1/2 laranja sem casca nem sementes

Modo de preparar

Colque todos os ingredientes no liquidificador e bata até obter um suco homogêneo. Adoce a gosto e tome em seguida.

Dica

O consumo de beterraba pode auxiliar no controle da pressão, pelo nitrato presente, também encontrado em vegetais verde escuros e porosos.

__________________________________________________________

Suco de tomate, repolho e salsão

Ingredientes

  • 1/2 tomate
  • 1 xícar de chá de repolho picado
  • 2 talos de salsão
  • 1 copo (200 ml) de água filtrada

Modo de preparar

Bata todos os ingredientes no liquidificador e beba em seguida.

__________________________________________________________

Farinha especial para hipertensos

Ingredientes

  • 1/2 copo de aveia em flocos finos
  • 1/2 copo de farinha de trigo
  • 1/2 copo de farelo de trigo

Modo de preparar

Veja também:   Dor de cabeça: cada um tem a sua

Misture todos os ingredientes e use para fazer tortas e bolos, em substituição à farinha de trigo branca.

__________________________________________________________

Solução de cravos-da-índia

Ingredientes

  • 5 cravos-da-Índia
  • 1 copo de água mineral ou filtrada

Modo de preparar

Coloque os cravos na água e deixe descansar por 24 horas. No dia seguinte, ainda em jejum, coe e beba a água.

__________________________________________________________

Chá de embaúba

ingredientes

  • 1 colher (chá) de folhas secas de embaúba
  • 1 xícara (chá) de água

Modo de preparar

Ferva a xícara de água e, em seguida,  coloque as folhas de embaúba picadas. Deixe abafado por uns cinco minutos. Beba três xícaras do chá por dia.

OBS – Embaúba de nome científico Cecropia peltata L, é uma planta medicinal também conhecida como ambaia-tinga, árvore-da-preguiça e imbaíba. É utilizada na medicina principalmente no combate a pressão alta.

__________________________________________________________

Colesterol alto

Caldo de alcachofra

Ingredientes

  • 2 folhas de alcachofra
  • 1 litro de água

Modo de preparar

Coloque as duas folhas de alcachofra na água e leve ao fogo. Depois que abrir a fervura, aguarde mais cinco minutos e, em seguida, desligue o fogo. Tampe e deixe esfriando até chegar à temperatura ambiente.

Modo de usar

Beba um copo desse caldo ao longo do dia, em intervalos de aproximadamente 4 horas, em dias alternados durante a semana.

__________________________________________________________

Preparado de linhaça com canela e manjericão

Ingredientes

  • 1 colher (sopa) de óleo de linhaça
  • 1 colher (sopa) de canela
  • 1 colher (sopa) de manjericão cortado
  • 1 litro de água

Modo de preparar

Junte os ingredientes em um recipiente com água, leve ao fogo e deixe cozinhar durante 3 minutos. Desligue o fogo, tampe e deixe esfriar.

Modo de usar

Beba 3 copos desse preparado durante o dia, durante pelo menos 1 mês.

__________________________________________________________

Pó de sementes de linhaça

Ingredientes

  • 100 g de linhaça

Modo de preparar

Triture as sementes de linhaça e guarde o pó que se formar em um recipiente seco e bem fechado.

Modo de usar

Misture 2 colheres (sopa) do pó de linhaça em suas refeições, no almoço e no jantar, durante 20 dias seguidos.

Obs – a quantidade a ser triturada foi só um exemplo. Aumente na mesma proporção de uso/dia.

__________________________________________________________

Chá de flores de limão com sementes de feno e gengibre

Ingredientes

  • 1 colher (sopa) de flores de limão
  • 1/2 colher (sopa) de sementes de feno-grego
  • 1/2 colher (sopa) de gengibre
  • 1/2 litro de água

Modo de preparar

Misture os ingredientes em um recipiente com a água e leve ao fogo. Deixe aquecer um pouco e desligue assim que abrir fervura. Tampe e deixe esfriar.

Modo de usar

Beba dois copos do chá frio ao dia.

__________________________________________________________

Suco de berinjela e laranja

Ingredientes

  • 1 berinjela grossa e fresca
  • 1 laranja fresca, de tamanho grande
  • 1/2 litro de água filtrada ou mineral

Modo de preparar

Corte a berinjela em duas fatias e descasque a laranja. Coloque as duas no liquidificador junto com a água e bata bem, até obter uma mistura homogênea.

Modo de usar

Beba este suco logo pela manhã, ainda em jejum. Faça isso durante dois meses, todos os dias.

__________________________________________________________

Chá de mel e canela

Ingredientes

  • 2 colheres (sopa) de mel
  • 3 colheres (sopa) de canela
  • 1/2 litro de água

Modo de preparar

Coloque os ingredientes na água e leve ao fogo. Deixe abrir fervura e desligue em seguida.

Modo de usar

Beba 1 xícara desse chá 3 vezes ao dia.

__________________________________________________________

Preparado de abacate com acerola e alho

Ingredientes

  • 2 dentes de alho descascados
  • 2 colheres (sopa) de polpa de abacate
  • 2 colheres (sopa de polpa de acerola
  • 1/2 litro de água

Modo de preparar

Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata bem, até obter uma mistura bem homogênea. Não coloque açúcar.

Modo de usar

Beba 2 xícaras deste preparado ao longo do dia, pela manhã e a noite.

__________________________________________________________

Farinha de casca de maracujá

Um estudo dirigido pelo químico Armando Asbaa Srur, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, constatou que a casca do maracujá é rica em pectina, uma fibra solúvel que ajuda a reduzir o colesterol e também as altas taxas de glicose no sangue. Uma das maneiras mais práticas e eficientes de consumir a casca do maracujá é transformá-la em farinha.

Ingredientes

  • Maracujás firmes e sem rugas
  • 1 litro de água
  • 1 colher (sopa) de bicarbonato de sódio

Modo de preparar

Mergulhe os maracujás na solução de água com bicarbonato por cerca d 20 minutos. Após esse tempo, retire os maracujás e lave-os em água corrente.  retire a polpa e corte a casca ao meio ou em pedaços ( a polpa pode ser utilizada para fazer suco).
Coloque as cascas em uma assadeira e leve ao forno médio por cerca de 30 minutos, mexendo de vez em quando.
Elas ficarão secas e com as cascas torradas.
Espere esfriar.
Retire da assadeira e bata no liquidificador (ou processador) até obter uma farinha.
Peneire e guarde em um recipiente  limpo e com tampa.

Modo de usar

Duas colheres (sobremesa) da farinha de casca de maracujá polvilhadas em cada refeição surtem um bom efeito.

Atenção

Não se deve levar a farinha de casca de maracujá (após pronta) ao fogo, pois ainda não existem estudos conclusivos sobre possíveis alterações provocadas pelo aquecimento da casca de maracujá.

__________________________________________________________

Nível alto de triglicérides

Água de aveia moída

Ingredientes

  • 2 colheres (sopa) de aveia moída
  • 1/2 litro de água filtrada

Modo de preparar

Coloque a aveia na água em uma tigela à noite e deixe ficar de molho até a manhã seguinte.

Modo de usar

Na manhã seguinte, passe a mistura em uma peneira e beba um copo grande dessa água.

__________________________________________________________

Chá de sete-sangrias

Ingredientes

  • 1 colher (chá) de folhas de sete-sangrias picadas
  • 300 ml de água mineral ou filtrada

Modo de preparar

Coloque a água para ferver. Após abrir fervura, desligue o fogo e coloque as folhas de sete-sangrias picadas e tampe. Deixe ficar em infusão durante dez minutos. Em seguida, passe o chá em um coador.

Modo de usar

Beba uma xícara deste chá 3 vezes ao long do dia.

__________________________________________________________

Diabetes

Chá contra diabetes

Ingredientes

  • 20 g de folhas de poejo
  • 1 xícara (chá) com água fervente

Modo de preparar

Coloque as folhas de poejo na xícara com água fervente, tampe e deixe esfriar por 15 minutos. Coe.

Modo de usar

Tomar diariamente 1 xícara de infusão de poejo é um ótimo remédio natural para ajudar a controlar o diabetes. O chá pode ser bebido a qualquer hora do dia, preferencialmente após ter sido feito, para evitar que o poejo perca suas propriedades medicinais.

__________________________________________________________

Farinha de berinjela

Ingredientes

  • 1 kg de berinjela

Em um tabuleiro, coloque as berinjelas com casca e cortadas em fatias finas. Leve ao forno a uma temperatura de 200 ºC por cerca de 2 h 15 ou até que as fatias fiquem crocantes e ressecadas. Retire do forno e triture a berinjela desidratada no liquidificador ou no processador, até virar pó e ficar parecida com a farinha de mandioca.

Modo de usar

Consuma 2 colheres (sopa) diariamente, misturando a farinha de berinjela diretamente na comida ou em bebidas, como sucos, chás, vitaminas ou água.

Obs – Um quilo de berinjela rende 100 g de farinha, que deve ser armazenada em um recipiente limpo, seco e bem vedado, em local arejado e longe da luz. se preferir, guarde a farinha de berinjela na geladeira.

Detalhe: pode usar também a farinha de maracujá, como ensinada acima (colesterol  alto).

__________________________________________________________

Suco de limão e berinjela

Ingredientes

  • 1 berinjela picada
  • suco de 1 limão
  • 1/2 litro de água

Modo de preparar

Bata todos os ingredientes no liquidificador. Coe e beba 2 copos do suco ao dia.

__________________________________________________________

Chá de babosa

Ingredientes

  • Um pedaço de babosa com aproximadamente 5 a 6 cm
  • 1 litro de água

Modo de preparar

Corte a babosa e leve para ferver na água por aproximadamente 10 minutos. Tome uma xícara três vezes ao dia.

__________________________________________________________

Chá de insulina

Ingredientes

  • 1 colher (sopa) de folhas de insulina seca
  • 1/2 litro de água

Mode preparar

Faça uma infusão com as folhas e a água. Coe e beba 3 xícaras por dia.

__________________________________________________________

Chá de bardana

Ingredientes

  • 3 a 10 g de bardana seca
  • 1 xícara (chá) de água

Modo de preparar

Coloque a erva na água ainda fria; leve ao fogo e assim que ferver, desligue, tampe e deixe repousando por 10 minutos. Beba de 2 a 3 xícaras por dia.

__________________________________________________________

O primeiro sinal de que alguma coisa não vai bem

A síndrome metabólica é uma espécie de primeiro sinal de que as coisas no organismo de uma pessoa não estão indo bem e é necessária uma alteração nos hábitos e uma atenção maior em relação à alimentação e à atividade física.
Quando diagnosticada a tempo, é possível evitar que a síndrome metabólica, que se caracteriza por um quadro com leves alterações em alguns exames básicos, como glicemia, colesterol,triglicérides e pressão arterial, combinadas com um acúmulo de gordura abdominal, evolua para doenças mais graves, como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares.

Quando esse quadro se instala nas condições clínicas de uma pessoa, é hora de começar a se cuidar e seguir as recomendações de seu endocrinologista.
Neste Post você ficou sabendo como a síndrome metabólica começa, como age no organismo, como é o tratamento nas diversas faixas etárias, a importância da inclusão de alimentos com fibras na dieta, e muitas dicas para o seu dia a dia na convivência  com esse distúrbio, e receitas úteis e fáceis de preparar que ajudam a combater vários efeitos da síndrome.