Calcanhar em crise: dor e inflamação são os principais sintomas do temido esporão de calcâneo

Dor e inflamação são os principais sintomas do temido esporão de galo. A calcificação do tecido do calcanhar deve ser tratada com fisioterapia e uso de calçados confortáveis.

Trabalho duro é o do calcanhar, que aguenta todo dia o peso de todo o corpo. Nele está o maior osso do pé, o calcâneo. Os impactos que ele sofre no cotidiano podem desencadear problemas que provocam dor. De acordo com o fisioterapeuta Hélder Montenegro, essa é uma das queixas mais frequentes feitas aos especialistas.
Atividades de impacto, corridas ou caminhadas em excesso passam a ser desconfortáveis.
O ortopedista Davi Haje explica que, quando o paciente vai ao consultório com essa reclamação, é comum o médico classificar o problema como esporão de galo.

O diagnóstico da calcificação nos tecidos do calcanhar é feito clínica e radiograficamente, mas uma ressonância magnética ajudar a evidenciar se há alguma estrutura inflamada (fáscia, gordura, calcificação ou esporão ou osso do calcâneo). Algumas pessoas também podem ter uma dor irradiada da coluna com reflexo no calcâneo.
Se o incômodo é na região posterior do calcanhar, por exemplo, geralmente trata-se de inflamação do tendão calcâneo (Aquiles).
Há também a possibilidade de a dor ser causada por doenças reumáticas, especialmente quando ela acontece nos dois pés, e o tratamento não proporciona alívio.

O que é o esporão do calcâneo?

O esporão do calcâneo é uma condição óssea degenerativa (artrose ou artrite), constituindo-se de uma espícula óssea que se desenvolve na parte anterior do calcâneo (osso do calcanhar). O calcâneo é o osso de maior tamanho em toda a estrutura óssea do pé e suporta todo o peso do corpo, sofrendo um impacto intenso e constante.

Há duas espécies de esporão do calcâneo:

Inferior: comprometimento da fáscia plantar.

Posterior: comprometimento da bolsa retrocalcânea.

Como surge o esporão de calcanhar?

A cada ano, cerca de um milhão de brasileiros e 2,5 milhões de americanos procuram os consultórios de ortopedistas queixando-se de dores no calcanhar. A maior parte desses pacientes apresenta um problema chamado fasceíte plantar, ou fascite plantar, uma inflamação no tecido que recobre os músculos da sola do pé, comumente chamada de esporão.

Para entender a origem do esporão de calcanhar é importante lembrar que a planta do pé é composta por estruturas elásticas (músculo) e rígidas (fáscia), que potencializam a força dos músculos flexores curtos dos dedos e funcionam como um braço de alavanca.
 Na prática, essas estruturas aumentam a eficiência do impulso, que é acionado quando o calcanhar se distancia do solo.

As pessoas mais suscetíveis ao problema são mulheres com idade entre 40 e 50 anos, praticantes de esportes como caminhada, corridas e maratonas. Um estresse excessivo nesta região provoca um estiramento da fáscia, originando fissuras e inflamação.
Entre as principais causas estão a retração do tendão calcâneo conhecido popularmente como tendão de Aquiles e pés com a curvatura acentuada, rígidos, pouco flexíveis ou pronados.

Há, ainda, incidência significativa de casos entre as que trabalham em pé por longos períodos ou que sofrem com sobrepeso. O tratamento é principalmente clínico, realizado por meio de exercícios de alongamento do tendão de Aquiles e da fascia plantar.

Veja também:   Fibromialgia. Não. Não é psicológico

Quais são as causas do esporão do calcâneo?

O esporão do calcâneo afeta principalmente as mulheres, entre 40 e 50 anos, praticantes de caminhadas ou corridas e aquelas que trabalham em pé por longos períodos ou as que sofrem com o sobrepeso. Mas ele pode afetar também os homens.

A planta do pé é composta por estruturas elásticas (músculos) e rígidas (fáscias). Na prática, essas estruturas aumentam a eficiência do impulso executado quando o calcanhar se distancia do solo. Quando há um esforço excessivo nesta região podem ocorrer fissuras e inflamações da fáscia.
Isso pode ocorrer em virtude da retração do tendão de Aquiles ou de pés com a curvatura anômala.

Qualquer situação que cause estresse crônico à região do calcanhar pode provocar o desenvolvimento de um esporão.
Como uma das extremidades da fáscia plantar fica aderida à base do osso calcâneo, a fascite plantar (inflamação da fáscia) possui os mesmos fatores de riscos que o esporão de calcanhar, sendo comum a coexistência dos dois problemas ortopédicos.

São fatores de risco para o desenvolvimento do esporão de calcâneo e da fascite plantar:

  • Idade acima de 40 anos.
  • Obesidade
  • Pé chato
  • Pé cavo
  • Prática de esportes de alto impacto nos pés, como corrida, ballet e dança.
  • Trabalhar muito tempo em pé, como seguranças, professores, cirurgiões, trabalhadores de fábrica, etc.
  • Uso excessivo de salto alto.
  • Uso de calçados pouco apropriados para os pés, como sapatos apertados, largos ou velhos.
  • Alterações da marcha, como pisar com o pé torto, principalmente com a parte de dentro dos pés.

.

O esporão do calcâneo pode não ter causa específica.

Quais são os sinais e sintomas do esporão do calcâneo?

O esporão é frequente entre desportistas, pessoas com excesso de peso e pessoas com pé cavo ou pé plano. Raramente o esporão causa inflamação visível, avermelhamento ou outro sinal aparente. A dor é o principal sintoma e começa já com os primeiros passos do dia.
Geralmente é uma dor pulsante na zona plantar do calcanhar, mas há também uma dor de repouso e ao colocar o pé no calçado.

Os esporões de calcanhar frequentemente causam pouco ou nenhum sintoma. A simples existência de um esporão não é suficiente para causar dor em cerca de 95% dos pacientes. Para haver dor é preciso existir também inflamação na região ao redor do calcanhar, geralmente com acometimento da fáscia plantar.

Apesar de ter uma forma pontiaguda, a dor do esporão não costuma ocorrer pelo espetamento de alguma estrutura ao seu redor. A dor surge pelo processo inflamatório local que é provocado por microtraumas repetitivos.
Em geral, os pacientes com esporão de calcanhar que se queixam de dor apresentam também o quadro de fascite plantar (é bom salientar que o esporão do calcanhar não provoca a fascite plantar).

Portanto, não é o esporão em si que causa dor nos pés. O esporão é apenas um sinal indireto de que aquela região do calcanhar esteve nos últimos meses, ou anos, exposta a traumas e estresses repetitivos.

Veja também:   Tratamento para acne - Remédio para manchas de acne

Quando há inflamação local o sintoma mais comum é uma dor na planta do pé, especialmente na região abaixo do calcanhar. A dor é tipicamente pior durante os primeiros passos, como ao sair da cama de manhã ou levantar-se depois de estar sentado por algum tempo.

Deve-se estar advertido de que nem toda dor no calcanhar é esporão e há esporões que não doem.

Como o médico diagnostica o esporão do calcâneo?

Pode ser diagnosticado através do relato dos sintomas e de um exame físico adequado. A radiografia ajuda a confirmar o diagnóstico.

Como o médico trata o esporão do calcâneo?

Inicialmente, o tratamento consiste em alongamento do tendão de Aquiles e da fáscia plantar e no uso de uma palmilha de silicone para o calcanhar. Geralmente, em oito semanas esse tratamento beneficia 90 a 95% dos pacientes.

Para os que não se beneficiam, existem duas opções:

  • Injeções de corticoide na fáscia plantar.
  • Uso do night splint (tala noturna), que imobiliza o tornozelo e alonga a fáscia plantar.

Só 5% dos pacientes demandarão medidas cirúrgicas, que podem não apresentar uma resposta muito boa.

O tratamento do esporão de calcâneo só é necessário quando há inflamação dos tecidos ao redor, habitualmente sob a forma de fascite plantar. Inicialmente, o controle da inflamação pode ser feito com repouso e gelo local.

Como evolui o esporão do calcâneo?

Os sintomas do esporão do calcâneo são bem controlados com a fisioterapia e palmilhas. A maioria dos casos dolorosos de esporões do calcâneo cura-se somente com o uso de anti-inflamatórios e de sapatos confortáveis.

Em casos mais resistentes, outras opções são a fisioterapia, com execícios e alongamentos específicos para os pés e panturrilhas, e o uso de calçados com palmilhas especiais para reduzir a pressão sobre o calcâneo e a fáscia plantar. Pessoas obesas devem emagrecer para reduzir o estresse que o excesso de peso provoca sobre os pés.

Se não houver contra-indicações, o uso de anti-inflamatórios por curto período ajuda bastante no controle do processo inflamatório. Injeções de corticoides no calcanhar podem ser utilizadas nos casos em que não há resposta satisfatória ao tratamento conservador.

A cirurgia para retirada do esporão é a última alternativa e atualmente é raramente indicada, pois a grande maioria dos pacientes consegue controle da dor com medidas conservadoras.

Situações variáveis que causem um estresse crônico à região do calcanhar podem provocar o surgimento de um esporão. Pessoas com a curvatura dos pés acentuada, que sofrem com o sobrepeso ou que trabalham em pé durante muito tempo têm forte tendência a apresentar o problema.

Outros fatores de risco para o surgimento do esporão de calcâneo são:

  • Usar, excessivamente, salto alto ou calçados que sejam pouco apropriados para os pés. É o caso de sapatos muito apertados ou velhos
  • Praticar esportes com forte impacto nos pés. Dança e corrida, por exemplo
  • Alterar a marcha, como pisar com o pé torto.

Como prevenir o esporão do calcâneo?

Existem algumas medidas que não tratam o esporão, mas minoram os sintomas que ele causa:

  • Usar sapatos com amortecedores e salto de no mínimo 2,5 cm de altura.
  • Usar sapatos fechados e protegidos.
  • Evitar ficar em pé por tempo prolongado.
  • Controlar o excesso de peso corporal.
  • Fortalecer a musculatura da planta do pé.
  • Não fazer corridas ou saltos sem a adequada preparação da musculatura do pé.
  • Usar calçados adequados às diversas práticas esportivas.
  • Fazer rolamentos com uma bola elástica (aquelas que têm umas pontas mais salientes) nos pés.
    Estes exercícios devem ser feitos três vezes ao dia, repetindo os rolamentos umas cem vezes.
Veja também:   Ilusão: uma realidade psíquica

Exercícios simples que aliviam os sintomas do Esporão de Galo

São movimentos que você pode fazer em casa, e que evitam muitas vezes o uso de remédios e até cirurgias. Só inicie sua fisioterapia em casa com os pés desinchados. Faça os exercícios pelo menos duas vezes ao dia e evite atividades esportivas durante as duas primeiras semanas.

  • Ande descalço em terreno regular sempre que possível, pois isso favorece o alongamento da planta do pé
  • Ao acordar, ainda deitado de costas, aponte os dedos dos pés em direção a cabeça por 20 segundos.
    Repita cinco vezes.
  • Alongue a planta do pé.
    Apoie os dedos dos pés na parede e o calcanhar no chão, então escorregue os dedos devagar até que a sola do pé encoste totalmente no chão.
    Repita esse movimento oito vezes por dia em cada perna.
  • Alongue a panturrilha usando uma rampa.
    Enquanto uma perna descansa no alto da rampa, a outra fica na base com o joelho esticado.
    Mantenha o calcanhar na rampa e aproxime o corpo do apoio.
    Deixe a coluna reta e segure a posição por 20 segundos.
    Faça esse exercício oito vezes em cada perna.
    (
  • Repita o movimento anterior agora com o joelho dobrado.
    Também por 20 segundos e oito vezes cada perna.

Prevenção

  • Sempre que possível, evite sapatos de salto alto.
  • Procure orientação profissional antes de iniciar a prática de exercícios.
  • Fique atento à sua postura ao ficar de pé e andar devagar.
    Evite andar nas pontas dos pés.
  • Use calçados confortáveis para as caminhadas.
  • As “calcanheiras” aliviam a dor, mas aumentam a pressão na planta do pé.
    Prefira palmilhas completas.
  • Caso os exercícios não causem resultado, procure um profissional especializado.

Receita caseira para curar o esporão

Ingredientes

  • Algumas folhas de couve
  • Plástico filme
  • Faixa para curativo
  • Esparadrapo

Modo de preparo

  • Use um pilão para amassar as folhas de couve, até que ela comece a liberar um sumo esverdeado.
  • Ponha essa pasta sobre um pedaço de plástico filme e envolva a região do calcanhar, deixando as folhas esmagadas sobre a pele.
  • Pegue um pedaço maior de plástico e enrole em volta do pé ara segurar o emplastro no local.
  • Depois use a faixa e o esparadrapo para cobrir o emplastro.

.

Modo de usar

  • Mantenha a mistura no local por sete horas.
  • Retire depois e lave bem a região.
  • Repita a aplicação uma vez a cada sete dias durante três semanas.

[Border]

Fontes: por Renata Rusky / Saúde / Revista do Correio / Fisioterapia  Manual

Artigos Relacionados

Saúde Próspera