Convulsão febril em crianças: o que fazer?

Quando o tema é febre em crianças, sempre existe o fantasma da convulsão. É comum ouvirmos frases como: “febre alta dá convulsão”, “não deixo vir a febre para não dar convulsão”, “febre dá convulsão e é perigoso”. Na verdade, essas idéias são equivocadas. Vamos esclarecer algumas informações.

Gravidez de alto risco: Como identificar?

Gravidez de alto risco. Quando se considera que existe um certo risco de se produzirem alterações ou malformações fetais, recorre-se ao diagnóstico pré-natal, uma série de exames que permitem detectar estes problemas durante a gravidez.

Por que não consigo engravidar?

A dificuldade para engravidar é um problema que atinge cerca de 20% dos casais no mundo. Alguns hábitos ou fatores podem dificultar a gravidez, como tabagismo, alcoolismo, dependência química e sedentarismo, além de maus hábitos alimentares e contato frequente com poluentes. Algumas doenças sistêmicas como o lúpus eritematoso; a endometriose,

Oftalmologistas recomendam que exames nos olhos sejam feitos cada vez mais cedo, inclusive em bebês

Exame rotineiro dos olhos no consultório do médico oftalmologista é muito importante para a preservação de uma boa visão, e isso deve ocorrer em todas as idades. Diagnósticos precoces de doenças oculares podem ser feitos ainda na gestação, podendo assim evitar futuros problemas de visão e até mesmo a cegueira.

Gravidez e álcool: uma combinação perigosa

Tomar um chopinho durante a gravidez, gesto aparentemente inofensivo, pode gerar danos irreversíveis no bebê. Doença causada pelo mau hábito materno, a Síndrome Alcoólica Fetal (SAF) afeta 30 mil crianças por ano no Brasil: três a cada hora.

Plano de parto ainda é desconhecido no Brasil. você sabe o que é isso? Não deixe de ler!

Recomendado pela OMS há décadas, plano de parto ainda é desconhecido no Brasil. Não é apenas a gestante que desconhece esse direito; médicos e hospitais no país não adotam a conduta. Mas o plano de parto é tão importante que pertence à categoria prioritária de recomendações da Organização Mundial de Saúde

Falência ovariana prematura: envelhecimento que não se vê

Falência ovariana prematura, além de causar infertilidade, prejudica a qualidade de vida da mulher. Processo de queima da reserva ovariana antes dos 40 anos prejudica a saúde e a possibilidade de ter filhos de forma natural.

Placentofagia: Não há comprovação de benefício para a mãe

Especialistas afirmam que não há comprovação de que engolir placenta traz benefício para mães. Ingerir, após o parto, o órgão formado durante a gestação tem sido cada vez mais usual em países como os Estados Unidos.

Amamentação: falta de informação prejudica aleitamento materno

Especialistas explicam que leite industrializado pode desencadear alergias durante a infância e na fase adulta. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda proibir totalmente a publicidade de produtos substitutos. Atualmente, apenas 38% das crianças no mundo são amamentadas exclusivamente nos seis primeiros meses de vida, de acordo com números divulgados

Pré-natal: novos testes permitem avanço na detecção de síndromes

Exames não invasivos, feitos com amostra de sangue da mãe, revelam com total segurança possíveis doenças genéticas do feto. Resultado é conhecido em 24 horas.

Artigos Relacionados

Saúde Próspera