Canelas inflamadas: como evitar? Por que acontece

Falta de preparo muscular e pisada inadequada podem sobrecarregar a tíbia e causar muita dor. Correr e caminhar são algumas das atividades físicas mais populares. Um par de tênis confortável e você está pronto para colocar o pé na estrada. Acontece que a coisa não é bem assim.
Os famosos atletas de fim de semana correm sérios riscos de se machucar ou de ter lesões graves, já que o corpo não está acostumado a tanto movimento.
Gustavo Cavalcanti, ortopedista do Hospital Santa Luzia, explica que uma dessas complicações é a síndrome do estresse tibial – ou apenas canelite.
Como o nome sugere, o problema caracteriza-se por inflamações na tíbia, osso da canela, que causam dor e incômodo ao paciente.

De acordo com o especialista, o problema acontece quando há mais esforço do que a canela pode aguentar. “É uma fadiga que causa microfraturas”, detalha. “Não vai chegar a quebrar o osso, mas causa edema”. No início, o paciente sente um incômodo na parte central da canela.
A dor vai aumentando com o tempo até que se torna insustentável correr ou até mesmo andar.
Além dos corredores eventuais, quem pratica artes marciais que envolvem exercícios em sacos de areia também está entre os mais expostos à canelite.
“Qualquer atividade com muita intensidade pode causar fratura de estresse”, resume Gustavo Cavalcanti.

Canelite é o nome popular da fratura por estresse na tíbia, que é uma inflamação do principal osso da canela, a tíbia, ou dos tendões e músculos da tíbia, podendo se tornar fratura por estresse. É comum em atletas que praticam corrida, saltos e esportes de impacto.

A canelite nada mais é do que uma inflamação no periósteo (estrutura óssea), onde o osso se torna “inflamado”, que em uma fase mais crônica onde nenhum tratamento foi feito, pode se tornar uma fratura por estresse.

Quais são as causas das canelites?

A canelite é um sintoma muito comum e pode afetar principalmente atletas. Ela pode ser causada por uma série de fatores, mas a causa mais comum para o problema é o uso excessivo das pernas – motivado, quase sempre, por exercícios físicos.
Outras causas, no entanto, podem levar ao desenvolvimento de canelite:

  • Inchaço ou inflamação dos músculos, tendões e da camada fina de tecido que cobre a tíbia
  • Ter os pés chatos ou um arco do pé muito rígido pode colocar mais estresse na parte inferior da perna, aumentando as chances de causar canelite
  • Síndrome do compartimento anterior crônico, que afeta a parte externa frontal da perna.
    Pode causar amortecimento ou falta de coordenação do pé durante a prática de exercícios físicos
  • Fraturas por estresse geralmente causam dor aguda e sensibilidade nas articulações.
  • Pronação dos pés
  • Uso de calçados inadequados
  • Fatores genéticos
  • Fraqueza muscular e falta de alongamento muscular
  • Treinamento sem orientação
  • Prática de esportes em terreno muito rígido.
    Pisos duros e compactados como concreto e asfalto devem ser evitados, dê preferência a grama ou pisos de terra, evite também terrenos acidentados.
    Concreto é seis vezes mais severo para os seus tecidos da tíbia do que o asfalto.
    O asfalto é três vezes mais severo do que a terra batida.
    A grama é ainda mais macia, e diminui significativamente o risco de inflação na região da tíbia.
  • Correr inclinando o tronco para frente.
  • Mulheres na menopausa.
  • Tênis inadequado para o seu tipo de pisada.

Como saber se você esta com a chamada canelite

Primeiro nos sintomas de dor. Procure um profissional, um médico ortopedista especialista:

  • Quando a dor se torna incapacitante
  • Dor ao toque na região, a canela fica mais sensível ao simples toque do dedo
  • Dificuldade em caminhar
  • Dor após os treinos
Veja também:   Chá verde Emagrece? Conheça os seus benefícios

É de extrema importância você comunicar seu treinador quando estas dores aparecerem, uma vez que a inflamação/canelite se tornar fratura por estresse o tratamento se complica.
Você precisará parar de treinar e em alguns casos utilizar uma bota/robofoot para não mexer os pés e os músculos da região e assim também diminuir o impacto para iniciar o tratamento.

Tratamento

A canelite tem que ser olhada com um cuidado especial, já que pode desenvolver problemas mais sérios.
Além do habitual incômodo na região logo acima ao tornozelo durante a prática da atividade física, a canelite pode causar uma fratura por stress num estágio mais avançado, garante o ortopedista Ricardo Cury, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho.

O tratamento é com anti-inflamatório, medicamentos para alívio da dor, fisioterapia, alongamentos ou, caso persista, a parada e uma reorientação dos treinos. Existe uma melhora do sintoma com essas medidas. Curado, em seguida, vale levantar os fatores que causaram o problema, para que ele não retorne.
Se foi treino em excesso, se o tênis já precisa de uma troca por prazo de validade – diz o médico, que orienta também alguns alongamentos.
Outros cuidados:

  • Conservador, ou seja, fisioterapia e medicamentoso (quando orientado por um médico); Repouso relativo, dando preferência a exercícios sem impacto (como bicicleta ergométrica), para manutenção do condicionamento físico;
  • Exercícios de alongamentos para os músculos da panturrilha; À medida que os sintomas vão regredindo, incluir os exercícios de fortalecimento geral para musculatura da perna (panturrilha, tibial anterior, posterior, fibulares).
  • Correção do tipo de pisada do pé, com uso de tênis específico;
  • Retorno gradativo ao esporte
  • Exercícios de propriocepção
  • Use gelo 20 minutos no começo da inflamação de três a quatro vezes ao dia
  • Bandagens funcionais – taping
  • Trabalhe a flexibilidade: alongue antes e depois do exercício.
    Deite-se de costa com um pé no ar.
    Coloque uma toalha em volta da sola do seu pé, e puxe com a sua mão esquerda para trazer os dedos do pé para baixo e para a esquerda, que irá alongar os músculos à direita.
  • Massageie gentilmente o músculo respeitando sua tolerância de dor.

.

 

Buscando ajuda médica

Marque uma consulta com um médico se você sentir muita dor na região da tíbia ou na parte inferior da perna e, principalmente, se os sintomas não passarem sozinhos ou com repouso e uso de medicamentos tópicos vendidos em farmácias.
Se houver dor, inchaço ou sensibilidade no local afetado, não force a região e interrompa a prática de exercícios físicos até que o médico libere.
 Consulte um especialista o quanto antes.
Quanto antes diagnosticar qual o problema, mais rápida será a recuperação do paciente.

Especialistas que podem diagnosticar canelite são:

  • Clínico geral
  • Ortopedista
  • Reumatologista

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo.
Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quais são seus principais sintomas?
  • Você sente dor?
  • Você sente sensibilidade nas articulações?
  • Você sente que sua perna está inchada?
  • Quais são seus outros sintomas?
  • Você pratica exercícios físicos? Com que frequência?
  • Que tipo de esportes você pratica?
  • Você tem o costume de usar os materiais de proteção enquanto pratica atividade física?
  • Você já teve esse problema antes?
  • Os sintomas são reincidentes?
  • Os sintomas melhoram ou pioram com o passar do tempo?
  • Os sintomas aliviam com o repouso ou uso de medicamentos tópicos?
  • Você já foi ao médico por causa de seus sintomas antes?
  • Você já foi diagnosticado com alguma outra condição de saúde? Qual?
  • Você está fazendo uso de algum tipo de medicamento? Qual?
  • Você está passando por algum tipo de tratamento? Qual?
  • Você tomou alguma medida para aliviar os sintomas? Funcionou?
Veja também:   Hábitos femininos são o grande certificado da longevidade das mulheres

.

Ao sentir os sinais e sintomas característicos de canelite, o ideal é procurar um médico o mais rápido possível. Até lá, faça repouso e evite forçar as áreas afetadas, principalmente as que tiverem dor, inchaço ou sensibilidade. Você pode experimentar compressas com gelo também, para diminuir a inflamação.

Prevenção

  • Dê preferência a tênis de corrida flexíveis na parte frontal.
    Troque o tênis de corrida sempre que usá-lo de 480 a 640 km.
  • Use uma calcanheira para reduzir o choque, assim como suporte para arco do pé ou palmilha de amortecimento, se necessário.
  • Não aumente seu volume de treinamento drasticamente ou faça treino de velocidade prematuramente.
    Equilibre o seu treinamento.
    Corra uma menor quilometragem e o faça sobre superfícies mais macias.
    Inclua corrida em piscina ou outra atividade física complementar.
  • Alongue antes da corrida, e mais uma vez depois do aquecimento.
    Cometeu um erro no treinamento e está com a canela doendo? Coloque gelo, tome anti-inflamatórios não esteróides (indicado pelo médico) e não cometa o mesmo erro novamente!
  • A canela sempre dói depois de uma sessão de treino na pista de atletismo? Então faça seu treino de velocidade sobre terra batida, grama, areia, ladeira acima, na esteira ergométrica ou faça corrida na piscina.
    Também conserte qualquer erro no treinamento.
    Faça a quantidade apropriada de treino de velocidade e corra num ritmo adequado.
    Gradualmente aumente os treinos de velocidade para até 10% do volume semanal em uma sessão, e não corra mais rápido do que o seu ritmo numa corrida de 5 km até que seja capaz de realizar os 10% sem dores severas.
  • Não se esqueça de fazer o desaquecimento, ou volta à calma… Provavelmente a parte do treino mais negligenciada.
    Correr por mais 3 ou 5 km pode parecer horripilante depois de fazer 20 repetições de 400 metros no ritmo de corrida de 5 km.
    Isso é horripilante se você não está em forma suficiente para correr esses intervalos sem um pouco de reserva! A corrida leve introduz sangue com seus nutrientes e acelera a extração dos produtos do desgaste da corrida rápida.
    Adicione 400 metros de caminhada no final e você também estará diminuindo o acúmulo sanguíneo pós-exercício que contribui para inflamação nos músculos.
    Molhe suas pernas com água gelada, coloque seus pés para o alto por 20 minutos enquanto se re-hidrata e desaquece, e então tome uma ducha e faça os alongamentos.
  • A musculatura da tíbia trabalha de encontro aos grandes músculos da panturrilha, e é a última musculatura a aquecer e a primeira a esfriar.
    Com isso em mente, faça exercício para fortalecê-la.
    Sentado numa cadeira, desenhe círculos largos com o seu dedão do pé, e depois desenhe o alfabeto.
    Depois de algumas semanas, adicione o exercício “pote de tinta”: sentado numa mesa, pendure um peso no dedão do pé e o levante flexionando o tornozelo numa seção de 12 repetições.
    Ou então enganche um cinto elástico, ou item similar, ao redor do dedão do pé e empurre conta ele 10 vezes e depois o puxe em sua direção 10 vezes.
    Reduza sua quilometragem para se livrar da inflamação na região da tíbia.
    Já que os músculos da região da tíbia são os últimos a aquecer, vestir meias de cano longo pode ajudar no aquecimento.
Veja também:   Sinusite: Saiba o que é, sintomas e tratamentos

Usando Boas Práticas de Corrida

Inicie cada corrida com um exercício para a canela. Dê 25 passos dobrando seus pés/tornozelos em seis posições diferentes. Há três exercícios de dedos do pé e três de tornozelo.

  • Corra devagar, na ponta dos pés com os dedos apontados para a frente por 25 passos.
  • Em seguida, curve os dedos para baixo e corra novamente, ainda sobre os dedos, 25 passos.
  • Em seguida, curve os dedos para cima e corra na ponta dos pés, dando 25 passos.
  • Depois, pise levemente usando os calcanhares com os dedos apontados para cima.
    Primeiro apontando para a frente.
  • Em seguida, apontando para cima e para dentro, depois para cima e para fora.
  • A musculatura da tíbia trabalha de encontro aos grandes músculos da panturrilha, e é a última musculatura a aquecer e a primeira a esfriar.
    Com isso em mente, faça exercício para fortalecê-la.
    Sentado numa cadeira, desenhe círculos largos com o seu dedão do pé, e depois desenhe o alfabeto.
    Depois de algumas semanas, adicione o exercício “pote de tinta”: sentado numa mesa, pendure um peso no dedão do pé e o levante flexionando o tornozelo numa seção de 12 repetições.
    Ou então enganche um cinto elástico, ou item similar, ao redor do dedão do pé e empurre conta ele 10 vezes e depois o puxe em sua direção 10 vezes.
    Reduza sua quilometragem para se livrar da inflamação na região da tíbia.
    Já que os músculos da região da tíbia são os últimos a aquecer, vestir meias de cano longo pode ajudar no aquecimento.

.

Após cerca de duas semanas, a canelite deverá minimizar ou desaparecer.

Alongue os músculos da panturrilha!

Músculos da panturrilha tensos podem contribuir para muitas lesões nos membros inferiores, incluindo as canelas. Tente fazer o alongamento dos músculos certificando-se de trabalhar tanto gastrocnêmio quanto o sóleo, várias vezes ao dia. Faça cada alongamento por 20 a 30 segundos e repita de duas a três vezes.

O gastrocnêmio nada mais é do que a panturrilha, que possui três músculos. É chamado triceps sural da perna. Há o gastrocnêmio medial, o gastrocnêmio lateral e o músculo sóleo, que é o mais profundo deles. Eles começam na região atrás do osso do joelho e se juntam mais ou menos na metade da perna até formar o tendão de aquiles.

Corra em superfícies macias

Tente encontrar superfícies mais macias para correr, como sobre o gramado ou uma trilha de terra. Correr sobre asfalto/cimento gera estresse extra sobre suas pernas. Não alterne constantemente de uma superfície macia para uma dura durante uma mesma corrida.

Não corra quando sentir dor

Não corra mais do que suas pernas podem suportar. Preste atenção em como suas pernas se sentem, e quando você sentir dor, pare de correr e vá descansar. Às vezes, isso pode acontecer depois de você ter corrido apenas 1 km; às vezes, após ter corrido uma distância bem maior.
Eventualmente, suas canelas ficarão mais fortes e você será capaz de correr novamente, se assim quiser.
Quando suas pernas precisarem de descanso, tente outra atividade, como andar de bicicleta ou nadar.
Dessa forma, você ainda pode ficar em forma sem causar mais danos às suas canelas.

Artigos Relacionados